Crédito: banco de imagens

Uma pesquisa britânica está fazendo com que as grávidas não consigam dormir. E não se trata de preocupação. É que o estudo realizado com cerca de 1 mil gestantes, publicado no periódico “British Journal of Obstetrics and Gynaecology”, apontou que o risco de os bebês nascerem mortos duplica quando as mães dormem de costas no final da gravidez. E isso é mais um complicador, afinal, achar uma posição confortável para deitar não é fácil quando se está grávida.

Das gestantes acompanhadas na pesquisa, 735 mulheres tiveram bebês saudáveis e 291 gestações culminaram com bebês que nasceram mortos. O estudo, chamado MiNESS (Estudo sobre Natimortos do Centro e Norte da Inglaterra, na tradução), é o maior já realizado sobre o tema e confirma pesquisas menores feitas na Nova Zelândia e na Austrália. Os pesquisadores recomendam que as grávidas durmam de lado, mesmo se em cochilos rápidos. Claro que isso se refere ao início do sono porque é impossível controlar a posição no decorrer do período em repouso.

O estudo, no entanto, não aponta definitivamente a relação entre a posição e a morte dos fetos. Uma das hipóteses é de que o peso da criança e do útero pressione os vasos sanguíneos e interfira no abastecimento de sangue ao bebê. No Reino Unido já há uma campanha de saúde pública incentivando as gestantes a dormirem de lado.

Apesar de importantíssimo, os médicos destacam que é preciso receber esse estudo com cautela. Até porque os pesquisadores ainda darão seguimento, confirmando os dados com novas pesquisas. Outras questões como, manter atividades físicas, alimentar-se bem e não fumar são fatores tão ou mais importantes quanto a posição de sono.
Gestantes devem tirar suas dúvidas com o obstetra que acompanha a gravidez.

Deixe seu comentário