Trabalhar fora, cuidar da casa e do bem-estar dos filhos, não possuir internet ou telefone compatível. Essa é a realidade de diversos brasileiros (as) que em 2020 se depararam com a pandemia do novo coronavírus, trazendo mais preocupações e responsabilidades. “Foi muito difícil, porque eu não tenho wi-fi, não tenho internet, e era um telefone para quatro crianças, e vinham todas as atividades por ali, e a gente não sabia”, conta a montenegrina Maria (nome fictício), de 29 anos.

Segundo dados do Conselho Tutelar de Montenegro, em 2020, 321 crianças e adolescentes abandonaram as suas atividades escolares. Após contato e notificação do órgão, 226 retornaram as tarefas, entretanto 95 tiveram seus casos encaminhados ao Ministério Público de Montenegro por abandono escolar.

Compartilhar

Deixe seu comentário