Banda esteve no lendário Fest Bandas, na Fundarte, em 2005. foto: arquivo Ibiá

Com mais de 40 músicas autorais, integrantes projetam clipe profissional

A roda punk não pode parar, e no Vale do Caí quem mantém o agito é a Us Porku. Uma das principais e a mais antiga em atividade, foi criada no bairro Ferroviário em fevereiro de 2000, durante as férias da Escola Técnica Estadual São João Batista. A formação clássica com o “frontman” Playmobil Gambazão; Sadam Caloi na guitarra; Elvis Champin no baixo e Jeff Lego na bateria, esteve no Estúdio Ibiá contando sua história, novidades e mandando o melhor Punk Rock da região.

Us Porku ensaiam há pelo menos 15 anos na garagem da tia de Jeff, unicamente com a missão de manter a tradição do Rock And Roll através de sua melodia crua e as letras escrachadas. Em 2003 gravaram sua primeira demo com 12 músicas próprias no Estúdio Locomotiva. Quase na mesma época, entre 2004 e 2005, realizaram a primeira “colônia tur”, que passou por Portão, Pareci Novo, São Sebastião do Caí, Brochier, Maratá, Capela de Santana e Feliz.

Em 2005, com Jeff assumindo as baquetas, gravam seu segundo disco demo, intitulado “Poluindo o Domingo das Crianças”, onde 16 músicas próprias fizeram grande sucesso, rendendo mais um tour. Mas o primeiro EP profissional acontece apenas em 2016, alicerçado na música de trabalho “Gelada e Rock And Roll”. Este trabalho em estúdio, na Capital, teve produção de Glauco Minossi, que foi o responsável pelo último disco da banda Ultramen.

E o trabalho de 2018 tem outro famoso no comando, e desta vez ícone de cena punk nacional. As 13 músicas próprias foram produzidas pelo ex-baixista da banda Tequila Baby, Davi Pacote. A rebeldia não desafiou a pandemia, mas não deixou a chama apagar. Us Porku entraram na “vibe” do acústico, que têm levado a ambientes menores, quase intimistas. Um circuito de “Pocket Shows” que deram a satisfação de reunir amigos e ter as famílias no “backstage”.

Fora do palco e sem personagem
O punk montenegrino está nas plataformas de streaming de músicas, no Facebook da banda e em clipes no Youtube. Mas os guris sabem que não é fácil viver de música no Brasil! É por isso que, no dia a dia, saem os personagens lúdicos e entram os trabalhadores fundamentais.

Us Porku parodia o “tiozão do pavê” comentando assuntos do cotidiano. Foto: Arquivo Pessoal

Playmobil é professor, mestre graduado em filosofia e letras, e leciona em São Leopoldo. Sadam é motoboy, apontado pelos parceiros de banda como um dos melhores de Montenegro; Elvis é enfermeiro e Jeff é estudante de Medicina. Playmobil ressalta que os planos são de nunca abandonar a banda, mas também não deixar de lado suas profissões.

“O pessoal do Punk Rock cru, na cena brasileira, precisa fazer outra coisa para viver. Por isso nunca deixamos de fazer nossas atividades fora da banda”, explica Playmobil. Ele revela o pacto de nunca pararem de tocar, deixando vivo o Rock, a rebeldia, a postura independente e, sobretudo, a amizade. “Vamos guardando uns troquinhos, dá para gravar, então vão vir mais discos”, conclui.

Vem aí o primeiro clipe
O vocalista Playmobil pontua que, desde a criação da banda, houve algumas mudanças positivas, que acrescentaram ao grupo. “Acho que nossas melodias ficaram mais simples. Naquela época a gente era gurizão. Fazia diversas mudanças desnecessárias, porque queríamos fazer algo diferente e bonito”, recorda.

Há 10 anos esta postura mudou. Ele aponta Elvis, com sua excelência musical pontuada pela aptidão ao piano, como elemento fundamental nesta evolução da melodia.

Os integrantes da banda contam que todos escrevem e têm parte fundamental nas músicas lançadas. E com cada um contribuindo com ideias, as letras vão surgindo na garagem, entre uma cerveja e outra. Para marcar os 22 anos da banda, em fevereiro, Us Porkus estão organizando uma festa comemorativa, e Playmobil adiantam: o primeiro clipe profissional deve sair até 2023.

Deixe seu comentário