Para secretária, Montenegro é um dos municípios destaque na cena cultural do Estado

Podem se inscrever projetos de preservação e promoção do Patrimônio Cultural do Estado

“Montenegro tem se destacado por ter aqui esse foco nas artes, e a gente percebe que é uma cidade que está usando muito as nossas políticas públicas”, declarou a secretária Estadual da Cultura, Beatriz Araujo, em entrevista exclusiva ao Jornal Ibiá. Em visita à cidade, ela anunciou o edital FAC Patrimônio, que prevê um investimento de R$ 3 milhões para projetos de preservação e promoção do patrimônio cultural e de qualificação de instituições museológicas do Rio Grande do Sul. As inscrições seguem abertas até o dia 18 de outubro, através do site cultura.rs.gov.br.

Segundo a secretária, os valores serão divididos entre as nove regiões funcionais do RS, de acordo com a proporção da população. “Depois disso nós vamos ter mais seis editais. Serão 30 milhões de reais ao todo e que serão bem abrangentes, vão pegar todas as artes, todos os seguimentos culturais”, disse. O FAC Patrimônio é um dos sete editais previstos no pacote de investimentos do governo do Estado, que destinará mais de R$ 76 milhões para a cultura.

Beatriz destacou a utilização dos artistas de Montenegro dos recursos culturais lançados no Estado e ressaltou as grandes possibilidades de mais editais vitoriosos. “Uma cidade que já é vocacionada, que já tem pessoas que trabalham com as artes visuais, por exemplo, ela vai ter condições certamente de abocanhar uma parte desse recurso e fazer o uso disso para projetos culturais que sejam relevantes para essas localidades”, concluiu.

A secretária ainda aproveitou a oportunidade para falar sobre a importância das instituições voltadas a arte em Montenegro. “É de grande relevância uma vez que tu consegue, por meio da educação, do ensino superior, oferecer as pessoas que são vocacionadas para a arte desenvolverem as suas atividades de forma a levarem a sua vida fazendo o que elas sabem fazer, o que elas desejam fazer”, expressou.

Para ela, quando existe estímulo e facilidade ao acesso a arte o município tem a sua realidade transformada também. “Uma cidade que tem mais arte é uma cidade mais humana, mais feliz. E ao mesmo tempo as pessoas que trabalham com arte têm o senso critico apurado, elas conseguem, também por meio da arte, do ensino, da educação, transformar e promover o bem-estar comum de uma forma muito bacana”, completou.

Deixe seu comentário