Coletivo conta com seis artistas, sendo dois de Novo Hamburgo e o restante, todos montenegrinos. Foto: divulgação

Animação. Obra foi gravada exclusivamente em Montenegro

O Coletivo montenegrino de pesquisa e criação audiovisual Caixa de Abelha já finalizou as gravações do curta-metragem “Zé de Lima, rua Laura, 1010”, a fim de movimentar a produção cinematográfica do município. O trabalho, com cenas gravadas exclusivamente em Montenegro, tem duração de cerca de cinco minutos e é algo diferenciado explorado pelos artistas Tiago Bayarri, Gabriela Mauss, Luis Felipe Fernandes, Maria Luiza Apollo, Florencia Chen e Victor dos Santos.

Bayarri, ator e roteirista do curta, explica que o trabalho é produzido na linguagem do cinema de animação, a partir do stop motion, onde objetos e pessoas são animados foto a foto. “Ao invés de gravarmos um vídeo para construir a cena, é tirada foto após foto com pequenas movimentações. Assim, colocando uma foto após a outra, temos o vídeo”, conta. Ele destaca que isso permite que os objetos sejam animados e se movam pelo espaço, executando ações que em vídeo não seriam possíveis. “É um trabalho bem minucioso, em que para cada um segundo de vídeo, são doze fotos diferentes”, ressalta.
Para Bayarri, ver o curta já montado traz satisfação. “É muito bom ver uma criação que foi tão trabalhosa tomar forma, poder ver as imagens e as cenas agora montadas e com sons dá novos sentidos para a obra”, acrescenta.

No enredo, um personagem, nomeado B, tem o hábito peculiar de roubar correspondências de ruas próximas à sua casa e levá-las consigo como se ele mesmo tivesse as recebido. Os objetos que ele desembrulha, como cartas, cacarecos e suvenires ficam espalhadas por sua morada como uma tentativa de preencher alguns vazios. Tiago explica que o curta mostra um dia decisivo na rotina em que B encontra um pacote aparentemente impossível de ser aberto. “O enredo segue nessa tentativa dele, que beira o absurdo, de abrir esse pacote para descobrir o que tem dentro. Afinal, o pacote é vivo e cria um conflito com o personagem”, adianta.

O curta-metragem já finalizado tem previsão de divulgação para as próximas semanas nas redes sociais do grupo. Após, o próximo passo do Coletivo é realizar exibições gratuitas nas redes e enviar o filme para festivais de cinema nacionais e estrangeiros ao longo de 2022, levando o nome da Cidade das Artes adiante. Você pode acompanhar todas as etapas a partir daqui através do Instagram @caixadeabelha.

Deixe seu comentário