artesanatos são atrações nos sete anos do Brique da Estação e costumam levar grande público à Estação

Festa. O Brique da Estação completa sete anos neste domingo e promete uma série de atividades para o público

logotipo dos Artesãos que participam do Brique da Estação

Para marcar os sete anos do Brique da Estação, além dos tradicionais artesanatos, ocorrerão apresentações musicais, sorteio de brindes e homenagens aos participantes e também para a comunidade, neste domingo. A informação é do presidente da Associação de Amigos do Serviço de Patrimônio Histórico e Cultural (AASEPAHC), entidade que coordena o Brique, Carlos Domício da Silva Goulart. A instituição sem fins lucrativos, fundada em 2004, atualmente congrega no Brique um grupo de 18 artesãos. “Como entidade, visamos proporcionar espaço para artesãos de madeira, tecido, cimento, pintura, crochê, tricot, E.V.A, ouro, pedrarias, porongos… Também reunimos artistas plásticos e pintores. Ainda há espaço para gastronomia artesanal e um sebo de livros e apresentações de músicas”, sintetiza Carlos.

A Páscoa já é tema de diversos artesanatos em tecido

Por essa diversidade na produção de artesanato, no Brique, é possível encontrar peças que variam entre R$ 2,00 e R$ 150,00. O grupo, que já chegou a ter 22 pessoas, atravessou fases difíceis e caiu para menos de 10 integrantes. Nos últimos dois anos, Goulart diz que a participação se mantém estável. O presidente da Associação ressalta que as características dessa equipe são a união, perseverança, humildade e o amor pelo que fazem.

O brique é realizado duas vezes por mês, sempre no primeiro e no terceiro domingos. O trabalho é desenvolvido em parceria com a Prefeitura, que cede o espaço. Cerca de 100 pessoas costumam passar pela Estação de Cultura em dias de brique, mas quando há eventos paralelos, como shows musicais, esse número triplica.

Para a maioria dos artesãos, o brique não é apenas uma fonte de renda extra. “Se a gente não vai no domingo , sente falta”, relata Cleonice Nunes de Souza Goulart, que é casada com Carlos. Ainda menina, ela aprendeu a lidar com linhas e agulhas com a mãe e uma vizinha e segue até hoje entre uma costura e outra. “É uma terapia. Desestressa do dia- adia, da lida da casa. Lá, se um não sabe, o outro ajuda e ensina”, afirma a artesã. O marido também diz que a equipe é uma grande família.

Neste domingo, a partir das 15h, a comunidade ainda poderá participar do sorteio de brindes. A maioria são doações dos próprios artesãos, mas também vai haver outros prêmios, segundo a organização do evento. “Quem comprar uma fatia de torta vai receber um número para participar”, diz Carlos Domício. Como o evento é festivo, não faltará o tradicional “Parabéns pra você”, além de apresentações do Projeto Andrade, mateada e brincadeiras para crianças.

Equipe de artesãos é como uma grande família, segundo os participantes, que produzem e vendem a cada duas semanas na Estação da Cultura

Programe-se
Sete anos Brique da Estação – Arte e Cultura
Domingo, das 15h às 18h30min, na Estação Cultura
Apresentações:
– Projeto Andrade;
– Violinista Rodrigo Pires;
– Músico João Rohden;
– Teatro com brincadeiras e pinturas para crianças;
– Mateada com Ervateira Lago Verde

Deixe seu comentário