26º Seminário de Arte e Educação aconteceu em 2018. Foto: divulgação Fundarte

Evento será virtual, com participação aberta pelo canal do Youtube e no Facebook

Nesta quinta-feira, 19, a Fundarte realizará um debate por live, com o tema, Arte e Diversidades: questões étnico-raciais. O evento é a primeira ação da 27ª edição do Seminário Nacional de Arte e Educação. O Seminário acontecerá certamente em 2021 e terá a definição da data e modelo (se será presencial ou online) em maio do próximo ano.

A professora Janaina Kremer, que é mestre em Teatro, será responsável pela mediação do debate, com a participação especial dos professores doutores Celina Alcântara e o Igor Simões. A transmissão acontecerá a partir das 19h. Após alguns minutos de fala dos docentes, será aberta a participação da comunidade pelo canal do Youtube e pela página do Facebook da Fundarte Montenegro.

O evento aconteceria este ano, mas não foi possível devido à pandemia. A solenidade acontecia anualmente e nas últimas edições a cada biênio. A professora Celina dá uma prévia do que será abordado no debate. “As questões étnico-raciais dizem respeito às questões que nos formaram e que nos fizeram como povo. Diz respeito ao racismo e problemas que mantivemos vivos como, exclusão, violência, epistemicídio e genocídio. É pensar como fomos formados e que isto afeta o modo como nos organizamos até hoje”. O professor Igor também dá uma “pincelada” sobre o tema a ser discutido. “Nós vivemos em um país com 54% de pessoas negras, é preciso que esta representatividade seja cada vez mais frequente no horizonte de debate, tanto nas instituições de arte como de educação. É indispensável que o país faça este inadiável acerto de contas entre raça e classe e que olhe para sua história”.

No dia seguinte ao debate, sexta-feira 20, é comemorado o Dia da Consciência Negra. A data escolhida lembra o aniversário da morte de Zumbi dos Palmares (1655-1695), líder do Quilombo dos Palmares e figura importante na luta contra a escravidão. A homenagem é resultado do trabalho realizado para evidenciar a desigualdade dos povos na sociedade e é uma oportunidade para valorizar suas contribuições à formação da cultura brasileira.

Deixe seu comentário