Montenegro se despede hoje de um dos seus principais líderes sindicais. À uma hora da manhã, faleceu o fundador e ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Luiz Kayser, de 90 anos. Internado há alguns dias no Hospital Unimed Vale do Caí, ele sofria de problemas de saúde decorrentes da idade avançada. O corpo está sendo velado na Capela São João até as 11h, quando será sepultado no Cemitério Municipal. Kayser deixa a esposa Nauri, três filhos, sete netos e cinco bisnetos.

Metalúrgico de profissão, no fim dos anos 50, Luiz trabalhava na Fundição Hädrich e participou de uma grande mobilização para a organização da categoria, que resultou na criação do Sindicato, oficializado em 1961. Em entrevista ao Ibiá em 2011, quando a entidade completou 50 anos, ele lembrou do corre-corre daqueles dias. “Quando assumi, fui na casa do antigo presidente para buscar os documentos, uma máquina de escrever e oito duplicatas vencidas da máquina”, recordou.

Nos primeiros anos, seu Luiz usou uma peça no terreno da própria casa para fundar a Cooperativa dos Trabalhadores Metalúrgicos, que vendia itens de mercearia a baixo custo. Também se orgulhava de ter visitado pessoalmente uma série de colegas de profissão e conseguido ampliar o número de sindicalizados em pouco tempo. Em 1972, apenas 11 anos depois, foi inaugurado o ginásio de esportes da entidade, o Taninão, apontado, na época, como um dos mais modernos do país.

Por sua liderança entre os metalúrgicos, Kayser caiu no radar da Ditadura Militar instalada no país em 1964. Naquela década e na seguinte, foi detido várias vezes por suspeitas de participação em atividades subversivas. Ele deixou o movimento sindical em 1986.

Deixe seu comentário