Marcelo Júnior dos Santos Teixeira, de 18 anos, foi sepultado na manhã desta segunda-feira, 11, no Cemitério Municipal de Montenegro. Familiares e amigos do jovem disseram adeus em clima dor e revolta.

Marcelo Júnior dos Santos Teixeira/ Foto: Facebook

Marcelo morreu ao ser atingido por um tiro efetuado por um policial militar durante a madrugada desse domingo, 10. Ele estava na carona de uma motocicleta que era pilotada por um amigo, também de 18 anos. O condutor não era habilitado.

O piloto não obedeceu a ordem de parada dada pela BM e fugiu, passado por várias ruas da cidade. Já no bairro Santo Antônio, próximo do local onde morava, Marcelo foi ferido, após, segundo a Brigada Militar, seu companheiro tentar jogar a motocicleta para cima de um dos soldados.

Conforme a polícia, a ação busca apurar denúncias sobre tráfico de drogas. A família nega que o jovem tivesse qualquer ligação com algo ilícito. “Pode ter sido errado o motoqueiro ter fugido, mas ninguém tem direito de dar um tiro por trás. Foi uma tocaia que fizeram pra eles. Apagaram as luzes e ficaram esperando eles descerem”, diz o tio de Marcelo, Ivanildo Gonçalves, de 42 anos.

A matéria completa sobre o caso você confere na edição impressa do jornal Ibiá desta terça-feira e no portal, ainda hoje.

1 comentário

  1. Resultado da política que se instalou no RS e no País durante os últimos anos. Primeiro atira e depois pergunta. Além da famigerada “bandido bom é bandido morto”. Condenaram o jovem sem julgamento e o mataram. Mas não é só a brigada que faz isto. Isto cada cidadão faz na hora do voto. O sangue deste jovem está em várias mãos!

Deixe seu comentário