Seminário surgiu da necessidade dos instrutores de saber lidar com as crianças com deficiência . Foto: Guilherme Hamm / Secom

O evento, que tem apoio da Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e Pessoas com Altas Habilidades do RS (Faders), ocorreu nessa terça-feira, 10 na sede da Ulbra, em Canoas. Cerca de 300 policiais militares que atuam no Proerd em todo o Estado participaram de palestras e oficinas voltadas a ações com alunos com deficiência auditiva, visual, cognitiva, física e Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Segundo a coordenadora do Proerd no Estado, major Karine Pires Soares Brum, muitos instrutores do programa haviam relatado dificuldade em inserir crianças e adolescentes nas atividades desenvolvidas. “A gente precisa de uma adaptação que começa na forma de cumprimentar o aluno. Esses estudantes já passam por inúmeras dificuldades. Muitos são excluídos e sofrem com o bullying. Então o Proerd precisa preparar essa criança para o futuro”, explica Brum.

A instrutora do Proerd Daiana Brandt, soldado do 5º Batalhão da Polícia Militar (5º BPM) de Montenegro participou do seminário, juntamente com outros três colegas da região.

 

Sobre o Proerd
O Proerd existe no Brasil desde 1992, implantado pela polícia militar do Rio de Janeiro. O programa chegou ao Rio Grande do Sul em 1998. Atualmente, tem quase 900 instrutores habilitados. Desde o início do ano, no Estado, já foram mais de 3 mil escolas visitadas.

Deixe seu comentário