Família Kirsten ainda não contabilizou prejuízo total, mas já trabalha na reconstrução do galpão. FOTO: Estrebaria família Kirsten

O temporal do início da noite de domingo reservou momentos de tensão para Noemia Scherer Kirsten, 57 anos, e seu marido e um dos filhos do casal na propriedade da família em Linha Pinheiro Machado, interior de Brochier. Os três estavam na estrebaria com 14 vacas quando iniciaram as fortes rajadas de vento. De acordo com a produtora rural foram três rajadas: a primeira os jogou para junto das vacas, a segunda os manteve contra os animais e a terceira levou o telhado do galpão. As telhas de zinco e a estrutura de madeira voaram por cima da casa onde mora a família e foram parar no meio de algumas árvores.

“Pensei que tudo estava perdido”, relatou Noemia. A produtora lembra que mesmo sem o telhado ou energia elétrica a família realizou a ordenha das vacas na manhã de hoje. Para isto, utilizaram um trator adaptado para o serviço. Porém, cerca de 600 litros de leite foram perdidos. Isto seria o equivalente a quatro ordenhas, ou seja, dois dias de trabalho. Enquanto que a energia não retorna, a família tenta manter o leite novo refrigerado com gelo. “Ainda estamos sem luz. Seria bom se voltasse logo. Também temos carne no freezer de uma novilha que carneamos há 14 dias”, contou na tarde de ontem.

Além da estrebaria da família Kirsten – que ainda contabiliza o prejuízo do vendaval, mas já iniciou a reconstrução do galpão –, outras residências e estabelecimentos foram atingidos na cidade. Diversas árvores caíram por todo o município, causando danos na rede elétrica. A falta de energia também causa a falta de água nas comunidades abastecidas por poços artesianos.

Em Pareci Novo, postes e árvores caídas também foram recorrentes, bem como a falta de luz e água, esta decorrente da falta de energia para os poços artesianos. No Centro, a casa de Rosane de Oliveira, 40 anos, e Juliana de Oliveira Riffel, 18, foi parcialmente destelhada no caso mais grave registrado na cidade. Na manhã de ontem, mãe e filha trabalhavam na limpeza da casa e do pátio. “Estávamos dentro de casa, não tínhamos para onde correr”, contou Rosane.

A moradora conta que os eletrodomésticos da casa foram todos colocados dentro do carro da família para mantê-los secos. “Achei que a casa ia embora. O bom é que ninguém se machucou, o resto a gente ajeita”, comentou Rosane. Com auxílio da Prefeitura, que cedeu telhas para a família, a casa já foi reparada durante o dia de ontem. Além dos casos em Pareci Novo e Brochier, danos menores foram registrados em Maratá e São José do Sul.

Deixe seu comentário