Estimativa do Daer é que intervenção na rodovia dure cerca de seis meses

Empresa trabalha desde a última sexta-feira na rodovia que liga Montenegro a Brochier e Maratá

Observando de perto os trabalhos, Fabiano
diz que a via já apresenta melhor trafegabilidade

Logo após a placa que avisa aos motoristas que há defeito na pista num traçado de cerca de dois quilômetros da ERS-411, em Costa da Serra, que ficou com diversos pontos em aberto até a base da pista após a paralisação de obras de recuperação, está outra placa que traz alento aos usuários da rodovia: “Atenção! Homens trabalhando na pista”. Era esse aviso que a comunidade e quem trafega por ali esperava ver há tempos. Após oito meses de paralisação, a obra foi retomada na última sexta-feira, dia 21.

Eva Simas: “Espero que não parem de novo, se não é ‘bucha’”

Com uma semana de trabalhos por parte da Construtora Giovanella, melhoras na rodovia já são perceptíveis. Quem garante é o motorista de transporte escolar Fabiano Pereira de Souza, 40 anos. “Estava horrível, agora melhorou bastante. Agora dá para andar melhor, mais tranquilo e mais seguro”, assegura. Uma das melhorias perceptíveis foi a intervenção inicial próximo ao curtume de Costa da Serra, com a via sendo nivelada. Apesar disso, o motorista mantém um pé atrás quanto ao andamento da obra. “Tomara que não pare”, diz.

Além do serviço onde a obra foi paralisada,
empresa realizou ação tapa-buraco na rodovia

Quem também espera que o serviço não volte a ficar paralisado é Eva Simas, 68 anos. Morando às margens da rodovia, ela conviveu durante oito meses com a poeira e os buracos. “Tomara que continuem. Espero que não parem de novo, se não é ‘bucha’”, afirma. Ela comenta que durante o período em que a ERS-411 ficou em péssimo estado de conservação, felizmente, seus filhos não tiveram prejuízo ou acidentes, no entanto Eva diz que era comum ver carros com pneus furados ou presenciar colisões no trecho.

O prefeito de Brochier, Clauro Josir de Carvalho, – que ao lado dos prefeitos de Montenegro, Carlos Eduardo Müller, o Kadu, e de Maratá, Fernando Schrammel, e de outras lideranças políticas e da comunidade pressionou o Estado pela retomada da obra – espera que a rodovia volte a ter condições de trafegabilidade e passe a ter manutenções regulares.

Trecho próximo ao curtume foi um dos primeiros a receber reparo

Ele destaca que já houve operação tapa-buraco nos trechos entre Brochier e Maratá, e Brochier e Montenegro, além da retomada dos serviços onde eles haviam sido paralisados. O chefe do Executivo brochiense salienta que a ERS-411 é importante para o escoamento da produção de Brochier e Maratá, bem como para grande parte dos munícipes dessas cidades, que trafegam por ali para chegar aos seus empregos.

Conforme o superintendente da 11ª Superintendência Regional do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) de Lajeado, Fabiano de Oliveira Pereira, o plano é finalizar os reparos já iniciados para depois fazer intervenções em outros pontos da rodovia. “O recurso que temos é para serviços e compra de material asfáltico. Assim, faremos o que for possível”, diz. Na última segunda-feira, dia 17, o Governo do Estado anunciou para obras na ERS-411 R$ 1 milhão destinado através da Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide) e outros R$ 1.454.657,34 via Programa de Conserva Pavimentada. Pereira estima que as intervenções na rodovia durem cerca de seis meses.

Deixe seu comentário