Recursos destinados ao Turismo serão utilizados em projeto integrado de sinalização turística. FOTO: Arquivo/Jornal Ibiá

Região elegeu dois projetos voltados ao Turismo e outro para a Agricultura

O Governo do Estado divulgou no começo desta semana os projetos eleitos em cada região pela Consulta Popular, que teve seu pleito de 4 a 6 deste mês. No Vale do Caí, o mais votado, com 1.722 votos, foi o de ampliação da produção orgânica regional. Os outros dois programas eleitos são do eixo Turismo: o projeto para organização do cluster turístico regional e o projeto para consolidação dos produtos turísticos existentes na região. Eles receberam, respectivamente, 805 e 1.181 votos. Para o projeto mais votado serão destinados R$ 229.028,57 os outros dois receberão cada R$ 228.342,86, totalizando os R$ 685.714,29 destinados para o Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) do Vale do Caí.

De acordo com coordenadora da Governança Regional de Turismo, Michele Nunes Martins, os projetos contemplados no eixo Turismo fazem parte do Plano Estratégico de Desenvolvimento Regional do Corede Vale do Caí 2015-2030. Durante a audiência pública referente à Consulta Popular, os Municípios optaram por destinar a totalidade dos recursos oriundos dos dois projetos num projeto integrado de sinalização turística. “A Governança Regional de Turismo, com representantes de todos os Municípios da região, já está elaborando esse projeto”, garante. Segundo ela, a ideia é instalar, além de sinalização dentro da região, placas em rodovias estratégicas para despertar o interesse de visitantes da Serra Gaúcha e Região Metropolitana em conhecer o Vale da Felicidade.

A verba destinada na Consulta Popular será inserida no orçamento do Estado. Os projetos eleitos serão executados pelas secretarias e monitorados pela secretaria estadual de Governança e Gestão Estratégica (SGGE). Ao todo, o Governo do Estado destinou R$ 20 milhões para a Consulta Popular deste ano. Conforme a execução for efetivada, os valores serão liberados pelo governo.

Para fortalecer o Desenvolvimento Regional, não foram elencados neste ano projetos de segurança, saúde e educação. Conforme o secretário de Governança e Gestão Estratégica, Claudio Gastal, essa postura do atual governo tem o objetivo de fortalecer o planejamento das 28 regiões do Coredes. “É uma medida que valoriza o planejamento regional, elencando para a população decidir os projetos estruturados nos Planos Estratégicos de Desenvolvimento (PEDs) dos próprios Coredes. Assim, mantemos as características de cada região, valorizando sempre o desenvolvimento e não demandas pontuais de áreas específicas que já constam no Orçamento”, explica.

Deixe seu comentário