Vagas em creche para todas as crianças é uma dos principais problemas enfrentados pelas secretarias da Educação

Montenegro tem maior investimento total. Maratá injeta mais dinheiro por aluno. Brochier fica pouco abaixo da média

Um estudo realizado pelo Grupo de Trabalho (GT) da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e do Instituto Rui Barbosa (IRB) construiu o Perfil da Educação Pública no Rio Grande do Sul. No levantamento, que foi divulgado no início deste mês, foi apontado que o investimento médio por aluno da educação infantil no Estado chega a R$ 6.903,73. Já para o Ensino Fundamental, o valor médio investido é de R$ 9.728,47 por aluno. A partir de dados oferecidos pelos Municípios da região de cobertura, o Ibiá observou que, em geral, nas cidades da região é injetado, por aluno, um valor maior que a média estadual.

São José do Sul e Maratá investem por aluno mais que a média estadual no ensino fundamental…

O Município com melhor média anual de investimento por aluno é Maratá. De acordo com a secretaria municipal de Educação marataense, em 2017, foram aplicados R$ 14.199,84 por aluno matriculado tanto no Ensino Infantil quanto no Ensino Fundamental. Apesar disso, a secretária Clarine Pittelkow Luft diz que o maior desafio enfrentado pela pasta é a gestão orçamentária e financeira. “O financiamento da Educação interfere na sustentabilidade das ações propostas nas políticas públicas. A gestão orçamentária e financeira por ser um facilitador ou um limitador das ações da secretaria”, observa.

Em Pareci Novo, o investimento por aluno registrado em 2017 na Educação Infantil foi superior à média estadual: R$ 9.461,50. Porém, o Município fica abaixo média quando se trata de aplicação por aluno matriculado no Ensino Fundamental, com R$ 7.972,46 investidos em 2017. O inverso acontece em São José do Sul, onde o investimento médio por aluno em 2017 no Ensino Fundamental foi de R$ 13.032,61 e na Educação Infantil foi de R$ 6.407,50.

Município com o maior número de matriculados na rede municipal – são 2.621 na educação infantil e 3.419 na educação básica -, Montenegro é a cidade que mais aplica recursos: em 2017 foram investidos R$ 22.330.108,78 na educação infantil e outros R$ 19.786.130,71. No entanto, a média por aluno do Ensino Fundamental fica abaixo da estadual, atingindo R$ 5.787,11. Já na Educação Infantil, a média investida é maior do que o geral do RS com R$ 8.519,69 sendo investido por aluno.

…Já na em educação infantil, Maratá, Montenegro e Pareci Novo aplicam mais que a média do Estado

O único Município que não atinge a média de investimento anual é Brochier. Com R$ 9.002,18 investidos por aluno do Ensino Fundamental em 2017 e R$ 6.830,61 aplicados na Educação Infantil a cada estudante matriculado no ano passado, o Município ficou um pouco abaixo da média calculada pelo estudo da Atricon e do IRB.

A secretária municipal de Educação, Cultura, Desporto e Turismo de Brochier, Claudine Haupenthal, diz que o Executivo se organiza para amenizar as necessidades. Exemplo disso é a ampliação da Escola Municipal de Educação Infantil Sapatinho de Cristal, possibilitada através de parceria com o Legislativo. “A Educação sempre foi, e talvez sempre será, um dos maiores desafios de qualquer gestão, principalmente no que se refere às vagas na educação infantil”, pontua.

Atender demanda é umas das principais dificuldades
Em Pareci Novo, 18 crianças de 0 a 2 anos esperam vaga em creches. Em São José do Sul, são 10 crianças na fila de espera para serem matriculadas na única escola de Educação Infantil do Município. Em Montenegro, a secretaria municipal de Educação e Cultura (Smec) não divulgou quantas crianças aguardam por uma vaga na rede de Educação Infantil municipal, mas admitiu que há uma lista de espera. Em Brochier, também há crianças esperando por uma vaga na creche. Em Maratá, que inaugurou em agosto de 2017 o novo prédio da creche municipal, não há lista de espera para matrícula na Educação Infantil.

Via assessoria de comunicação, a Smec informa que Montenegro já atende, em 2018, 50% da demanda em educação infantil atingindo a Meta 1 do Plano Nacional de Educação (PNE) e do Plano Municipal de Educação (PME) com seis anos de antecedência, já que esse percentual estava previsto para ser cumprido apenas em 2024. Além da dificuldade de atender a demanda, o órgão destaca como desafios enfrentados o absenteísmo (ausência de funcionários) e a correção de fluxo na distorção idade-ano.

A ampliação do quadro de funcionários e qualificação dos espaços de ensino estão entre os desafios citados pelas secretarias de Educação de Pareci Novo e São José do Sul.

Dados por Município
Brochier
Investimento anual no Ensino Infantil por aluno em 2017: R$ 6.830,61
Investimento anual no Ensino Fundamental por aluno em 2017: R$ 9.002,18
Investimento em Educação Infantil em 2017: R$ 983.608,92
Investimento em Ensino Fundamental em 2017: R$ 2.376.575,52

Maratá
Investimento anual no Ensino Infantil por aluno em 2017: R$ 14.199,84
Investimento anual no Ensino Fundamental por aluno em 2017: R$ 14.199,84
Investimento em Educação Infantil em 2017: R$ 832.876,65
Investimento em Ensino Fundamental em 2017: R$ 2.064.430,78

Montenegro
Investimento anual Ensino Infantil por aluno: R$ 8.519,69
Investimento anual Ensino Fundamental por aluno: R$ 5.787,11
Investimento em Educação Infantil em 2017: R$ 22.330.108,78
Investimento em Ensino Fundamental em 2017: R$ 19.786.130,71

Pareci Novo
Investimento anual no Ensino Infantil por aluno em 2017: R$ 9.461,50
Investimento anual no Ensino Fundamental por aluno em 2017: R$ 7.972,46
Investimento em Educação Infantil em 2017: R$ 2.119.376,10
Investimento em Ensino Fundamental em 2017: R$ 3.125.205,60

São José do Sul
Investimento anual no Ensino Infantil por aluno em 2017: R$ 6.407,39
Investimento anual no Ensino Fundamental por aluno em 2017: R$ 13.032,61
Investimento em Educação Infantil em 2017: R$ 647.146,90
Investimento em Ensino Fundamental em 2017: R$ 1.811.533,34

Deixe seu comentário