Material usado para a limpeza de mão e superfícies foi entregue para nove entidades. Última entrega ocorreu na terça-feira, na secretaria municipal de Educação de Feliz FOTO: Divulgação/IFRS Feliz

Ação foi desenvolvida por professores, servidores e alunos voluntários

A produção de antissépticos para serem doados a entidades em razão da pandemia do novo coronavírus chegou ao seu fim na segunda-feira, dia 22, no Laboratório de Química e Meio Ambiente do Campus Feliz do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). A ação teve início em maio, a partir do projeto de extensão “Grupos colaborativos para a produção e a distribuição de antissépticos e EPI’s nos municípios do Vale do Caí”, e resultou, ao todo, na produção de 1.612 litros de antissépticos, tanto de álcool etílico glicerinado 80%, destinado para a higienização das mãos, como de álcool etílico 70° INPM, destinado para a limpeza de superfícies. O mesmo projeto ainda segue trabalhando com a confecção de máscaras e batas hospitalares, com a participação de costureiras voluntárias.

Ao longo de quase dois meses, 34 alunos e egressos dos cursos da área de Química participaram. Os voluntários, antes de iniciarem a produção no laboratório, participaram de uma capacitação online, por meio de um curso desenvolvido por membros do projeto e disponibilizado no Moodle. As atividades foram orientadas pelas professoras Márjore Antunes, também coordenadora do projeto, Fernanda Trindade Gonzales Dias e Alessandra Smaniotto.

Os antissépticos foram destinados para nove entidades (confira lista abaixo). A última entrega ocorreu nesta semana, tendo como contemplados a secretaria municipal de Educação de Feliz e Colégio Estadual Professor Jacob Milton Bennemann, de Feliz, que receberam 35 e 65 litros de antissépticos, respectivamente. Ainda, 70 litros de álcool etílico glicerinado 80% e 60 litros de álcool etílico 70° INPM serão destinados ao Campus Feliz.

Os insumos e as embalagens que possibilitaram a produção e o acondicionamento dos antissépticos foram doados pelos parceiros Conservas Oderich, Comunidade da Igreja Luterana de Feliz, APAE de Feliz, Prefeitura Municipal de Vale Real, Prefeitura Municipal de Harmonia e Colégio Estadual Jacob Milton Bennemann. O projeto também teve o apoio da Pró-reitoria de Extensão do IFRS, por meio do Edital 23/2020.

“Através deste projeto, pude me sentir um pouco melhor no meio de uma situação tão caótica. Poder ajudar um pouco e fazer a diferença para muitas pessoas é extremamente gratificante”, confessa a voluntária Francielle Miranda, estudante do curso de Licenciatura em Química. “Como é gratificante saber que o nosso trabalho vai ajudar pessoas que precisam”, diz a estudante de Engenharia Química Débora Ramos, voluntária no projeto. “Quero agradecer por esta oportunidade, pois me fez crescer ainda mais como ser humano e ter essa sensação de dever cumprido em poder ajudar ao próximo nesse tempo difícil”, finaliza a aluna.

Álcool etílico glicerinado 80% e álcool
etílico 70% INPM foram produzidos por voluntários. FOTO: Divulgação/IFRS Feliz

As entidades beneficiadas
– Secretaria municipal de Saúde e Assistência Social de Vale Real
– APAE de Feliz
– Secretaria municipal de Saúde e Assistência Social de Feliz
– Secretaria municipal de Saúde e Assistência Social de Harmonia
– Aldeia Kaingang Por Fi Gã de São Leopoldo (parceria com o Campus Canoas do IFRS)
– Conservas Oderich
– Programa Primeira Infância Melhor (PIM) de São Sebastião do Caí
– Secretaria municipal de Educação de Feliz
– Colégio Estadual Professor Jacob Milton Bennemann, de Feliz

Deixe seu comentário