Falta de estrutura e material para receber alunos de forma segura é um dos motivos para veto do retorno às aulas. FOTO: Arquivo/Jornal Ibiá

Pareci permitiu volta aos encontros do Ensino Médio. São José do Sul ainda estuda o que fará

Tanto Brochier quanto Maratá, através de decretos municipais, vetaram o retorno das aulas presenciais tanto na Rede Municipal de Ensino quanto na Rede Estadual. Com essa definição, a Escola Estadual de Ensino Médio (EEEM) Erni Oscar Fauth, de Brochier, e o Colégio Estadual Engenheiro Paulo Chaves, de Maratá, não receberão alunos para encontros presenciais. Assim, as aulas dessas escolas seguirão ocorrendo de maneira remota.

O decreto assinado pelo prefeito Fernando Schrammel, de Maratá, leva em consideração informações da equipe diretiva da única escola da Rede Estadual de Ensino de que não existem condições adequadas para o retorno das aulas presenciais. É citado, ainda, orientações do Comitê de Orientação Emergencial (COE) municipal.

No decreto assinado por Fernando Aurélio Braun, vice-prefeito de Brochier em exercício do cargo de prefeito, é determinada a permanência da suspensão das aulas das escolas municipais e estaduais situadas no território do Município enquanto durar o estado de calamidade pública decretado pelo Governo do Estado por conto da pandemia do novo coronavírus. O documento também leva em conta informações da diretoria da EEEM Erni Oscar Fauth dando conta da inexistência de equipamentos de proteção individual e de condições adequadas do prédio.

Vale lembrar que num primeiro momento, após contato do Jornal Ibiá, a secretaria estadual de Educação (Seduc) havia informado que “cabe à mantenedora responsável por sua rede correspondente, seja ela estadual ou municipal, a autonomia de gerenciamento de suas escolas”. No entanto, agora, o órgão diz que os Municípios possuem autonomia para definir o que pode ou não funcionar em seu território podendo, assim, vetar a volta aos encontros presenciais. “Se determinar que não abre, não abre. Estão ocorrendo conversas nas últimas semanas entre o Governo do Estado e Prefeituras sobre esse tema”, ressaltou a assessoria de imprensa da Seduc.

O Executivo de Pareci Novo optou por permitir o retorno das aulas presenciais no Ensino Médio. “A princípio, a gente entendem que eles (os alunos do Ensino Médio) têm autonomia para se cuidar”, comentou a secretária de Educação de Pareci Novo, Paula Marnelise Streit. No entanto, esse retorno não tem data prevista para ocorrer. Isso porque a EEEM São Francisco de Assis segue aguardando a chegada de todo o material de limpeza e de proteção pessoal prometidos pelo Estado. Somente após o recebimento.

Em São José do Sul, ainda é estudado pela secretaria municipal de Educação, Cultura, Desporto e Turismo se haverá ou não veto à volta dos encontros presenciais dos alunos do Ensino Médio atendidos na EEEM São José do Maratá. Lá, segundo a equipe diretiva, até o momento foram enviados pelo Estado apenas máscaras descartáveis e termômetros digitais.

Deixe seu comentário