Durante o evento, foram tratadas sobre diversas possíveis ocorrências

Os Bombeiros Voluntários de São Sebastião do Caí têm um histórico de quase três décadas de salvamento, com mais de 28 mil atendimentos. Mas, não só os humanos precisam de cuidados. Cães e gatos também. Com esse objetivo, a instituição promoveu uma palestra sobre primeiros socorros de pets.
O evento ocorreu no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Caí. A ideia é realizar outras edições, inclusive com a possibilidade de expansão para escolas. Estiveram no foco, principalmente, os traumas – ocorrências mais frequentes – como atropelamentos e quedas, ferimentos causados durante brigas com outro animal, intoxicação, entre outros. Também foi falado sobre convulsões em razão de doenças pré-existentes, ou que engasgam, principalmente com ossos, algo que não deve ser dado a eles, além de manejo de bichos idosos.

Heide Withoeft

A ministrante foi a médica veterinária Heide Withoeft em parceria com o labrador Spark, o mascote dos Bombeiros Voluntários. Ela é especialista em emergência e cuidados intensivos de animais de pequeno porte. Além disso, também integra a Corporação. “Falamos, primeiro, sobre a prevenção. E, em um segundo momento, sobre o que fazer em emergências comuns, para que quando chegarem ao veterinário, tenham menos riscos de sequelas. Isso é, basicamente, o que os bombeiros fazem com humanos”. A palestrante salientou o fato de o atendimento prestado por um cidadão não substituir o de profissional especializado na área.

Curso contou com a participação ilustre do labrador Spark

A contenção é um dos complicadores na hora de prestar o socorro. Há o risco de mordidas e arranhões. “Cada animal responde de um jeito. Às vezes com agressão, outras, com depressão. A gente que precisa investigar. Nessa hora, de emergência doméstica, contamos muito com o tutor, porque ele conhece o animalzinho. A nossa ideia é nos aproximarmos do tutor para que ele compreenda todas essas coisas para trabalhar muito na prevenção”, ressalta. Heide fez residência veterinária em Portugal, atuando em hospitais e Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) em Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul.

Posse responsável
A participação foi gratuita, houve a arrecadação de 60 quilos de ração, destinados destinados à ONG Vira Lata do Caí. O comandante da Corporação, Anderson Jociel da Rosa, ressalta haver grande quantidade de cães e gatos nas ruas do município.

Por isso, destacou como uma das metas da iniciativa incentivar a posse responsável. Ele lembra ser comum as pessoas, em caso de incidentes com animais de pequeno porte, quererem prestar socorro, mas nem sempre saberem como.

Deixe seu comentário