Belezas naturais, como a Cachoeira Maratá, estão entre os principais atrativos da região para os visitantes, junto com o turismo rural e cultural. Foto: Arquivo/Jornal Ibiá

Turismo. Lei inclui 19 municípios e busca desenvolvimento maior do setor

A Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade, na terça-feira, dia 27, o Projeto de Lei 58/2017, de autoria do deputado Tiago Simon (PMDB), que institui a Rota Turística do Vale do Caí. A rota é integrada por 19 municípios, abrangendo uma população estimada em 183 mil habitantes, e envolve uma área total de 1.854 quilômetros.

Entre os objetivos da iniciativa, consta o desenvolvimento sustentável do potencial turístico regional, o fortalecimento, a ampliação e o desenvolvimento da produção local nas áreas do turismo cultural, histórico, religioso, gastronômico, ecológico, de aventura ou arquitetônico. A Lei, que ainda precisa ser sancionada pelo governador, prevê também o incentivo à organização produtiva das comunidades locais relacionadas ao turismo, ao artesanato e à geração de novas fontes de emprego e renda.

Para Tiago Simon, a aprovação do projeto é o reconhecimento do Parlamento gaúcho à importância econômica e turística dos municípios que fazem parte da rota. “O turismo é uma das principais fontes de geração de renda e empregos em todo o mundo. É uma oportunidade ímpar de incrementar esta atividade que, através da criação da rota, poderá buscar recursos e apoio de órgãos públicos”, afirma o parlamentar.

Dentre os atrativos definidos no projeto, consta o Túnel da Linha Bonita, em Salvador do Sul, primeiro a ser construído em estilo curvilíneo na América Latina, com 93 metros, a Estrada Buarque de Macedo, uma das mais importantes do Rio Grande do Sul, e a Estrada Rio Branco, primeiro caminho dos tropeiros e primeira estrada ligando o porto de São Sebastião do Caí à Serra.

Também foram incluídas na rota as lagoas, rios, lagos, cascatas, morros, matas e florestas da região, além de reservas e parques ambientais, bem como as obras e os monumentos inclusos no Patrimônio Histórico e Cultural de âmbito nacional, estadual e municipal e as duas rotas já existentes na região: a Rota Caminho das Velhas Colônias e a Rota Sabores e Saberes. Ainda foram listadas algumas festas municipais, como a do Moranguinho, de Bom Princípio, e a da Bergamota, de São Sebastião do Caí.

Busca de recursos federais e estaduais será facilitada agora

Andrisa Mariano, coordenadora da Governança Regional de Turismo
CRÉDITO: Arquivo/Jornal Ibiá

Para a coordenadora da Governança Regional de Turismo, Andrisa Mariano, o projeto aprovado é uma proteção aos interesses comuns da sociedade na atividade turística. “É um bem legal a mais para a aprovação de projetos e pedidos de verbas federais ou estaduais. É mais um registro oficial do nosso potencial”, observa.

Ela salienta que a aprovação na Assembleia já era esperada e que, após a lei ser sancionada, dependerá das lideranças, empreendedores do ramo e comunidade acreditar no potencial turístico do Vale do Caí e se utilizar da lei para defender interesses nesse ramo.

Andrisa acredita que ter o Vale do Caí firmado através de lei como uma rota turística irá impulsionar o fomento do turismo como fonte social e econômica. A coordenadora diz que este é o momento de municípios e parcerias regionais se movimentarem para alavancar o setor. Ela reforça que a Governança Regional de Turismo do Vale do Caí existe há cinco anos e que sempre buscou a qualificação dos municípios e a sensibilização da região sobre a importância e sua beleza como destino turístico.

Deixe seu comentário