Ginásio do Centro Integrado Navegantes recebeu 17 famílias desalojadas pelas cheias

No Caí, 17 famílias ficaram desabrigadas por causa dos alagamentos

O início desta semana foi marcado por chuvas intensas em todo o Rio Grande do Sul. Uma das regiões mais afetadas foi o Vale do Caí, que registrou alagamentos em Montenegro e São Sebastião do Caí. As cheias causaram transtornos e geraram preocupação para moradores dos municípios. No Caí, 17 famílias precisaram deixar suas casas às pressas para se alojar no ginásio do Centro Integrado Navegantes.

Os alagamentos e vendavais registrados nesta semana foram causados pelo “ciclone bomba”, que atingiu a região Sul do Brasil entre segunda e terça-feira. De acordo com levantamento da Defesa Civil estadual, mais de 1.200 moradores foram retirados de casa devido às cheias do Rio Caí. Além das famílias que se alojaram no ginásio, cerca de 1.150 desalojados foram para outros locais seguros.

Chuvas intensas do início da semana causaram transtornos em São Sebastião do Caí

Na manhã de quinta-feira, 2, a Coordenadoria Regional de Defesa Civil Estadual entregou 100 cobertores para a prefeitura da São Sebastião do Caí, que repassou os donativos à população afetada pela cheia do rio. Ainda na manhã de quinta, três famílias retornaram para suas casas, já que o nível do rio estava baixando em São Sebastião do Caí desde o início da tarde de quarta-feira, quando atingiu cerca de 12m. Até o final da tarde desta quinta-feira, a previsão era de que o nível do rio chegasse a 9,03m na barca do Caí.

Durante o dia de ontem, outras quatro famílias deixaram o ginásio e voltaram para suas residências. As demais famílias devem retornar para suas casas nesta sexta-feira. “Juntamente com os moradores, estamos avaliando as casas e dando todo o apoio para o transporte de volta, bem como cargas de brita para amenizar o barro deixado pela enchente nas propriedades. Além disso, as famílias que seguem no ginásio recebem alimentação e acompanhamento da Defesa Civil e Assistência Social”, declara Pedro Griebeler, coordenador da Defesa Civil Municipal.

Cassiano de Souza da Silva, de 30 anos, foi um dos desalojados pela cheia do Rio Caí e, junto com a esposa e as duas filhas, precisou sair de casa na noite de terça-feira, às pressas, antes que a água invadisse o imóvel. Em pouco tempo, a família recolheu móveis, roupas e eletrônicos para serem transportados, por um caminhão da Prefeitura, até o ginásio.

Uma das grandes preocupações de Cassiano foi preservar seu material escolar. “Eu voltei a estudar para tentar conseguir um trabalho melhor, e melhorar de vida”, explica o estudante do programa de Educação de Jovens e Adultos – EJA. Ele teme não conseguir concluir seus estudos este ano, porque está com dificuldade para acessar os conteúdos repassados pela internet.
O velho telefone não tem ajudado na hora de cumprir as tarefas deixadas pelos professores. Cassiano pede ajuda para concretizar o sonho de terminar o ensino médio. “Quem tiver um notebook ou computador pra doar, preciso muito”, pede. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelo fone (51) 99741-8780.

Nível do Rio Caí atingiu 6,61m no Passo Montenegro e gerou alagamentos


Previsão de chuva para domingo

Em Montenegro, o pico da cheia foi registrado às 3h30min desta quinta-feira, quando o nível do Rio Caí atingiu 6,61m, passando em 61 centímetros a cota de inundação, de acordo com a Defesa Civil Municipal. Houve alagamentos em vários pontos da cidade, em ruas dos bairros Industrial, Municipal, Centro e Passo do Manduca. Inclusive, o Corpo de Bombeiros de Montenegro precisou auxiliar na retirada de uma pessoa enferma moradora da rua Cristiano Matte, no Industrial, onde havia alagamento.

A previsão era de que o nível do rio chegasse a 6,34m no final da tarde desta quinta no Passo Montenegro. A água deve seguir baixando nos próximos dias, mas a Defesa Civil está com o alerta ligado, já que deve voltar a chover neste domingo na região. “Felizmente, não tivemos maiores transtornos dessa vez. Todavia, continuamos em alerta, porque agora todo o sistema da bacia está sobrecarregado e no próximo domingo a chuva deve retornar. Tomara que seja em volumes menores”, salienta Elton José da Silva, coordenador da Defesa Civil Municipal.

Deixe seu comentário