Ações de prevenção ao suicídio ocorrem no Centro de Saúde e também em escolas

A psicóloga Magali Gegler e a assistente social Amabeli Carloto da Silva realizaram nesta sexta-feira, dia 10, uma ação de conscientização e prevenção ao suicídio no Centro de Saúde de São José do Sul. Desde o início da manhã a dupla aborda pacientes que está aguardando atendimento para falar sobre o tema, entregando junto um folder sobre sinais de alerta e também uma muda de girassol.

O ato fez parte da programação do Setembro Amarelo no Município. Conforme Magali, a ideia é trabalhar fatores de risco e orientações sobre o tema. “A melhor forma de evitar o suicídio é através do diálogo”, reforçou Amabeli.

Uma das pessoas que dialogou com a psicóloga e a assistente social enquanto aguardava atendimento foi Greice Antunes, 29 anos. Ao lado da filha Sophia, 3 anos, ela, junto com outros pacientes, ouviu o que as profissionais tinham a dizer, recebeu a muda de girassol e participou de uma pequena dinâmica. Para Greice, a ação foi boa por chamar atenção para algo importante. “Muitas gente acaba se suicidando por não ter ajuda”, observou. “É sempre bom procurar ajuda médica, da família ou de amigos”, reforçou Greice.

Magali (E) e Amabeli têm realizado rodas de conversa sobre o tema

De acordo com Magali e Amabeli, o girassol, além de ter a cor símbolo do mês – o amarelo -, também representa a busca de uma alternativa de sobrevivência. Além da ação desta sexta-feira, também estão sendo realizadas ações em escolas da cidade, onde são entregues sementes de girassol.
Na quinta-feira, dia 9, houve roda de conversa com alunos do 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e também estudantes do Ensino Médio da Escola Estadual de Ensino Médio São José do Maratá. Na próxima quinta e sexta-feira, dias 16 e 17, o encontro será com estudantes do 8º e do 9º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professora Valéria Maria Kirch.

“A gente sabe que é um tema pesado, mas é importante a gente falar porque ainda tem muitos casos que acontecem”, destacou Magali. A psicóloga vê como fatores agravantes na região a rígida cultura alemã e também a pandemia do novo coronavírus. De acordo com Magali, houve um aumento considerável na demanda por atendimentos de saúde mental nos últimos tempos.

Tanto Magali quando Amabeli reforçaram a necessidade de se buscar ajuda ao ter pensamos suicidas ou não estar com boa saúde mental. “Para superar (esse momento), procure ajuda do profissional, para que a gente possa estar auxiliando, escutando e encaminhando”, alertou a assistente social.

Em São José do Sul, é possível buscar ajuda tanto no Centro de Saúde quanto no Centro de Referência em Assistência Social (Cras). Outra opção, como aponta Magali, é ligar para o Centro de Valorização da Vida (CVV) pelo número 188 para conversar e receber orientação de pessoas capacitadas.

Toda a equipe da secretaria municipal de Saúde, Saneamento e Assistência Social de São José do Sul está engajada na campanha

Deixe seu comentário