Alegria. Maratá e Pareci Novo comemoraram ontem seus 25 anos de independência com atividades para a população

O dia 20 de março no Vale do Caí é marcado por emancipações políticas ocorridas há 25 anos. Em Maratá, aconteceu o encerramento da Gincana Colonial 2017, vencida pela Equipe Azul – comunidades de São Pedro e Uricana – seguido de baile com a banda 0800. Outro município que teve uma tarde de festa foi Pareci Novo.

Seu Heriberto (penúltimo da esquerda para a direita) e seus colegas entusiasmaram durante a prova do canto

A festa de Maratá foi no salão comunitário da localidade de Vitória e reuniu centenas de cidadãos. O prefeito Fernando Schrammel explica que, através de sorteio, todo ano um local diferente é escolhido integrando as sete comunidades. Ela está na 11ª edição, com um formato mais participativo do que investir em um grande evento com atrações de palco.

O prefeito lembra que a Gincana teve várias outras tarefas que foram cumpridas ao longo dos dias. “O pessoal gosta de participar. É um momento de diversão”, aponta. E, de fato, os cidadãos concordam. Um bom exemplo é o senhor José Heriberto Joner, que aos 81 anos era bem participativo na Equipe

vereador Maicon e a cidadã Eunice venceram a corrida de carro de mão

Verde. Ao lado de amigos do coral, chamou a atenção na prova de canto, arrancando aplausos.

Nascido na Vitória e hoje morando no Centro de Maratá, José recorda que começou a cantar com 18 anos, na Sociedade São Pedro. Passou por diversos grupos corais e hoje está na Sociedade Canto Maratá. “Precisamos todos estar presentes e participando”, disse, ao elogiar a festa.

Muita disputa e amizade entre comunidades
E as provas não eram moleza, como o cabo de guerra e a corrida de carrinho de mão. Essa segunda foi vencida pela Equipe Branca, com a dupla Maicon Schmitt e Eunice Vier. O jovem vereador de 26 anos, da comunidade de Esperança, lembra que a Prefeitura tem incentivado eventos de integração na cidade. “Essa brincadeira promove a união entre as comunidades”, afirma, apesar da competição.

Sua colega de prova participa todos os anos da Gincana. Eunice, 48 anos, concorda que, nesse dia, ocorre a aproximação de comunidades que são muito distantes. “Participo porque é para nosso município”, finaliza.

Marli Endres: “Nada a se queixar. Só agradecer pela emancipação”

Marli Endres, 70 anos, moradora da Macega, também estava curtindo muito a tarde de feriado. Ela recorda do tempo em que todos eram cidadãos de Brochier, mas sofriam devido à distância da sede. “Fiz muita torcida pela emancipação de Maratá há 25 anos”, declara, ao avaliar que tudo melhorou com a independência. Ela não fez queixas de Brochier, mas abriu um sorriso ao dizer “que estão muito bem e felizes”.

Os Vencedores

1º – Azul – São Pedro e Uricana – 18.155 pontos

2º – Verde – Centro e Maratá Alto – 18.140

3º – Branca – Esperança e Boa Esperança – 17.792

4º – Vermelho – Macega e Vitória – 17.700

 

a mais divertida foi a prova para ver quem colocava mais gente em uma caminhonete Rural. Os vencedores colocaram 36 pessoas dentro do veículo

Deixe seu comentário