Reunião com vigário da paróquia São Miguel marcou início das tratativas por cemitério municipal em Maratá. FOTO: Prefeitura de Maratá

Uma parceria entre a comunidade católica e a Prefeitura de Maratá pode viabilizar a criação de um cemitério municipal na cidade. Conforme a prefeita Gisele Adriana Schneider, a ideia é oferecer lotes de túmulos para pessoas que não são sócias das igrejas católica ou luterana, que possuem cemitérios particulares mantidos pelo pagamento do dízimo dos fiéis.

“É obrigação do Município dar condições de sepultamento aos que não possuem condições de pagamento por este serviço, ou que não sejam sócias em alguma igreja com cemitério próprio. Portanto, estamos unindo esforços para a criação de um cemitério municipal”, explica Gisele. Ela debateu o tema com o vigário da paróquia São Miguel, o padre Diogo Werner, e com a assistente social do Município, Jaqueline Wollmann. O padre Diogo informou que possui um local junto ao cemitério católico a ser disponibilizado para o cemitério municipal. Mas isso dependerá de parceria e compra dos espaços, por parte do Município de Maratá, por tempo determinado para cada sepultura. Sobre esta questão, Diogo discutirá com a comunidade católica a possibilidade.

Caberá ao Município verificar as questões legais e jurídicas que envolvem o assunto, inclusive para estabelecer os critérios de quais casos podem ser beneficiados com este tipo de serviço.

Ainda durante o encontro, que foi realizado na última quinta-feira, dia 25, foi debatido o estado de conservação da capela mortuária instalada no centro da cidade. De acordo com a prefeita, o Executivo está à disposição para buscar soluções de conservação do espaço. “Nosso objetivo é propor uma reforma na capela mortuária existente, deixando o ambiente mais agradável e confortável. Temos certeza que a soma de esforços entre comunidade católica, proprietários da casa e poder público terão resultados positivos”, afirma Gisele.

Deixe seu comentário