Hospital São João atende apenas em horários determinados por convênio com a Prefeitura

Perda. Mulher de José Amaro Ribeiro da Silva morreu a caminho do HM

José Amaro Ribeiro da Silva mora em Canoas, mas possui um sítio em Batinga Sul. Era na propriedade no interior de Brochier que ele costumava passar os finais de semana ao lado da esposa Diana Tampsen da Silva. Porém, no começo do mês, na passagem do dia 5 para 6 de outubro, sua companheira começou a sentir dores no peito. Preocupado, Silva colocou a mulher em seu carro e foi até o Hospital São João, mas o encontrou com as portas fechadas. Era por volta da meia-noite e ele rumou para Montenegro, na esperança de encontrar atendimento no Hospital Montenegro (HM), mas Diana não resistiu. “Perdi minha esposa no caminho para o hospital”, lamenta.

Diana faleceu aos 63 anos após sentir dores no peito. FOTO: Arquivo Pessoal
Agora, Silva questiona a falta de um plantão 24 horas na cidade. “Acho ridículo pagar um monte de imposto e não ter médico no hospital ou uma emergência”, afirma. “O mínimo que eu queria era um posto funcionando 24 horas para não se perderem outras vidas. Não quero que ninguém passe pelo que passei”, comenta.

Questionada, a diretoria do Hospital São João informou que, hoje, o pronto atendimento realiza somente prestação de serviço básico de saúde custeados pelo Executivo brochiense através de convênio com a Sociedade de Beneficência e Caridade Brochier, mantenedora da casa de saúde. Esse atendimento é realizado de segunda-feira a sexta-feira, das 17h às 21h. Aos sábados, domingos e feriados, há plantão diurno das 8h às 18h. “Após esses horários, os pacientes de Brochier são atendidos no HM, em Montenegro”, destaca a diretora via e-mail. A instituição de saúde reforça que este sistema de plantão foi implantado em abril de 2017, sendo os munícipes informados da mudança.

Antes da mudança, num convênio anterior, o hospital tinha atendimento 24 horas nos finais de semana e feriados, com médico em regime de sobreaviso. Porém, as emergências eram atendidas no HM. Durante a semana, o atendimento era realizado também com médico de sobreaviso. A Prefeitura, por meio da secretaria municipal de Saúde e Assistência Social, informou na época que as mudanças foram baseadas em um estudo realizado que apontou que a maior demanda de atendimento no hospital local é das 17h às 21h.

Em casos de emergência, como o enfrentado por Silva e sua esposa, a Prefeitura possui uma ambulância em plantão para remoção de pacientes. Este serviço pode ser acionado pelo número 9 9297-4970. Ao Ibiá, Silva revelou não ter conhecimento deste número de plantão.

Deixe seu comentário