Assinado pela presidência da República, documento publicado no Diário Oficial da União nesta segunda-feira, 9, oficializa o padre Theodor Amstad como Patrono do Cooperativismo Brasileiro. O reconhecimento é uma homenagem ao trabalho realizado pelo padre suíço, que fundou a primeira cooperativa de crédito da América Latina, em 1902, na cidade de Nova Petrópolis. Esta, hoje, tornou-se a Sicredi Pioneira RS, uma das 111 cooperativas de crédito filiadas ao Sicredi.

Amstad nasceu em 1851 e chegou ao Brasil em 1885. Se estabeleceu na região de Nova Petrópolis e logo começou a prestar assistência econômica, social e cultural aos colonos alemães e italianos que viviam na região. Comprometido com o desenvolvimento das comunidades locais, por lá ele criou a Bauernkasse: a Caixa de Economia e Empréstimos Amstad. A iniciativa se baseava num modelo alemão voltado a agricultores mais pobres que não tinham garantias a oferecer, mas precisavam de recursos para desenvolverem suas produções.

Segundo Manfred Alfonso Dasenbrock, presidente da SicrediPar, da Central Sicredi PR/SP/RJ, o pioneirismo do padre deu origem a um modelo de negócio que hoje está presente em quase metade dos municípios brasileiros. “Graças a sua luta e visão de mundo mais justo e igualitário, hoje temos milhões de brasileiros em cooperativas de crédito que desenvolvem trabalhos de suma importância econômica e social”, destaca.

A experiência do, hoje, patrono foi uma lição. “A história do Sicredi tem ligação direta com a trajetória de Theodor Amstad. Foi ele quem nos ensinou a caminhar nos fez andar e nos deu a inspiração para continuarmos disseminando a cooperação entre as pessoas”, adiciona Dasenbrock. “Em muitos municípios, as cooperativas de crédito são as únicas instituições financeiras presentes, o que contribui para a inclusão financeira e o desenvolvimento local das comunidades”.

Deixe seu comentário