Na imagem é possível ver a vítima caída e o agressor com bandeira do Brasil e chapéu marrom

O domingo, 19, foi marcado por manifestações em favor do presidente Jair Bolsonaro em diversas cidades do país. Durante o ato em Porto Alegre, a professora de Teatro da Fundarte, Nina Picoli junto com amigos, foi agredida por manifestantes enquanto caminhava pela rua. O ato ocorrido na capital gaúcha pedia intervenção militar e o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Nas imagens compartilhadas nas redes sociais é possível ver o momento em que a professora está atravessando a rua e é surpreendida com socos pelas costas. Além de Nina outras pessoas também foram agredidas na manifestação. De acordo com a polícia, um suspeito foi identificado e as investigações continuam. Os envolvidos podem responder por lesão corporal.

Em seu relato nas redes sociais, a professora da Fundarte relatou ser agredida juntamente com outros amigos “por estar fazendo registros”. “Venho aqui para falar pela importância que tem se falar das coisas ‘ruins’ desse mundo. Para todos os que estão preocupados, estou bem, com algumas escoriações e machucados, mas bem…”, disse. Segundo ela, não se pode relativizar atos de violência como esse.

A Fundarte se manifestou publicamente em apoio a professora. Na nota de repúdio divulgada a instituição disse “se solidarizar com a professora e repudiar qualquer ato que incite a violência”. A Fundação ainda afirmou esperar que os envolvidos sejam responsabilizados. “Vivemos em uma democracia e acreditamos que atos desta natureza não podem ser aceitos”, finaliza a nota.
Segundo o 9º BPM, o evento não tinha sido autorizado pela prefeitura, e a Brigada Militar não foi acionada. (MG)

Deixe seu comentário