FOTO: EGR/DIVULGAÇÃO

Em entrevista à Rádio Ibiá Web, o secretário extraordinário de Parcerias do Governo do Estado, Leonardo Busatto, esclareceu um ponto que ainda não estava claro com relação ao programa de concessão das rodovias que engloba as estradas da região. Era certo que, devido às rotas de fuga, o pedágio de Portão, na localidade de Rincão do Cascalho, seria desativado pela nova concessionária para se desdobrar em duas novas praças: uma prevista para a ERS-122, em São Sebastião do Caí; e outra para a ERS-240, em Capela de Santana. A novidade é que, até que essas novas entrem em funcionamento, a empresa que assumir a concessão vai seguir cobrando pedágio em Portão; e já com a tarifa mais cara do contrato.

Segundo Busatto, a projeção do Estado é de que a concessão tenha início, efetivamente, entre o fim de 2022 e o início de 2023. As novas praças, que têm que ser construídas, só entrarão em operação depois de um ano deste início. Até lá, o pedágio de Portão segue cobrando, como é hoje, apenas num sentido. Essa cobrança será feita com o valor da futura praça do Caí, em R$ 9,83; não com o valor da futura praça de Capela, que será de R$ 7,19. Os valores, anualmente, ainda passarão pela correção da inflação.

O leilão para a concessão das rodovias – que também engloba a RSC-287, em Montenegro – ocorreu semana passada e, com apenas uma organização interessada, foi vencido pelo Consórcio Integrasul, do Paraná, com proposta de deságio (o desconto das tarifas base de pedágio do edital) de 1,3%. O prazo é de até sete meses para a assinatura do contrato. (DM)

Deixe seu comentário