Existem pelo menos três demandas de postos de saúde na cidade e cada uma com uma característica específica. “O da Esperança está em fase de chamamento de empresas para a licitação. A vencedora fará a reforma”, aponta Luiz. O posto do Centenário já é considerado pelo secretário como uma situação mais complexa. “Lá depende do Ministério da Saúde. O prefeito esteve em Brasília e, nos próximos dias, deveremos ter novas diretrizes”, relata. Por fim, surgiu uma nova demanda na SMS, por causa do Pronto Atendimento Médico do Centro, o PAM. A área atual pertence ao INSS que pediu a área de volta. “Agora com esse colegiado vamos buscar uma área semelhante, de baixo custo. Não se fala em fechar o PAM em hipótese alguma. Queremos um prédio no centro e que atenda a todas as condições técnicas para o atendimento médica, obedecendo as normas de saúde”, destaca Azeredo.

Substituição. Diretor volta a ocupar o cargo, mas agora em caráter definitivo

A semana iniciou com novas mudanças na Secretaria Municipal de Saúde. Empossado neste mês, Moacir Goulart Prado deixou o governo. Prado comandou a SMS entre os dias 15 e 21 de maio. Alegando problemas de saúde na família, fez a entrega do cargo. Mais uma vez, o diretor administrativo da SMS, Luiz Carlos de Azeredo, o Luiz das Remoções, que já ocupou a vaga de secretário interinamente entre 28 de abril e 14 de maio deste ano, foi escalado para ocupar o posto. Desta vez, assume em caráter definitivo.

Nesta terça-feira (23), o novo secretário já realizou a primeira reunião do chamado Colegiado Gestor. Trata-se de um grupo de funcionários do setor que vai se reunir semanalmente para tratar das demandas da área. “O Colegiado dará o rumo da Secretaria. Vamos elencar desafios para coordenar as ações da pasta”, revela o secretário, ao destacar que todas as decisões serão tomadas em conjunto, visando uma melhor administração da área na cidade. Inicialmente, os encontros ocorrerão semanalmente e serão debatidos diversos assuntos de competência da SMS. De acordo com Luis, o secretário dará total aval às decisões do grupo.

O Colegiado é composto pelo próprio, secretário municipal de Saúde; Edson Kael, assessor especial; Ana Paula Martins, assistente social; Silvana Schons, coordenadora da Vigilância Sanitária; Jaqueline Porto, coordenadora do CAPS; Carline Porn, assistente administrativo; Claudia Rech, assistente administrativo; Jaqueline Machado, diretora de administração; Andréia Coitinho, coordenadora da Atenção Básica; e Cristina Vaccari, coordenadora da Atenção Bucal.

Para cada problema, uma solução diferente
Existem pelo menos três demandas de postos de saúde na cidade e cada uma com uma característica específica. “O da Esperança está em fase de chamamento de empresas para a licitação. A vencedora fará a reforma”, aponta Luiz. O posto do Centenário já é considerado pelo secretário como uma situação mais complexa. “Lá depende do Ministério da Saúde. O prefeito esteve em Brasília e, nos próximos dias, deveremos ter novas diretrizes”, relata.

Por fim, surgiu uma nova demanda na SMS, por causa do Pronto Atendimento Médico do Centro, o PAM. A área atual pertence ao INSS que pediu a área de volta. “Agora com esse colegiado vamos buscar uma área semelhante, de baixo custo. Não se fala em fechar o PAM em hipótese alguma. Queremos um prédio no centro e que atenda a todas as condições técnicas para o atendimento médica, obedecendo as normas de saúde”, destaca Azeredo.

 

Deixe seu comentário