Quem vive ou viajará para regiões de mata deve ser vacinar. Fotos: reprodução internet

Nesta semana, foi confirmada a morte de três macacos bugios em Caraguatatuba, São Paulo, comprovando a disseminação do vírus da febre amarela na Mata Atlântica. Após os casos registrados no ano passado, a presença agora, indica que a doença se tornou endêmica no Estado de São Paulo, assim como é na Amazônia. Isso indica que, nesse verão, o Brasil poderá registrar novos casos na população.

A Secretaria Estadual da Saúde de São Paulo divulgou nota confirmando a morte dos macacos em decorrência da doença pelo Instituto Adolfo Lutz na região do Horto no Parque Estadual da Serra do Mar em Caraguatatuba, litoral Norte de São Paulo. Outros seis animais mortos estão em análise. Em 2018, 253 macacos morreram no Estado de febre amarela. Já em humanos, foram registrados 498 casos e 176 mortes.

Os macacos são conhecidos como “sentinelas da doença” porque essa costuma se manifestar neles antes de chegar à população. Isso não significa que eles sejam responsáveis pela doença ou sua disseminação. Por isso, os casos de ataques aos animais, que foram registrados no ano passado, não fazem sentido algum.

A morte dos macacos confirma que a febre amarela segue colocando a população em risco. Fotos: reprodução internet

O Ministério da Saúde orienta que a população residente em regiões silvestres, rurais ou de mata deve se vacinar. A imunização está disponível em toda a rede de saúde. Além de quem vive nas áreas de mais risco, quem pretende aproveitar as férias com atividades rurais ou em mata como visitação de reservas naturais, parques ecológicos, cachoeiras, rios, florestas e parques urbanos também deve se prevenir.

A vacina é altamente eficaz e segura para o uso, a partir dos nove meses de idade, em residentes e viajantes a áreas endêmicas ou, a partir de seis meses de idade, em situações de surto da doença. No Calendário Nacional, uma dose é ofertada aos noves meses de idade, com reforço aos quatro anos. Para pessoas de 2 a 59 anos, a recomendação é de duas doses.

A febre amarela é transmitida por mosquitos. Os sintomas iniciais incluem febre, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Deixe seu comentário