Autoridades inauguraram o novo espaço na manhã dessa terça-feira

Espaço irá qualificar o atendimento de crianças e adolescentes

A Prefeitura de Montenegro inaugurou nessa terça-feira, 28, o Centro de Saúde Mental Infantojuvenil, que irá compor a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) no município. O novo serviço é voltado para o atendimento mental de crianças e jovens da cidade.

Conforme a coordenadora da área de saúde mental de Montenegro, Camila Anversa, o objetivo é que o espaço traga uma melhora na abordagem, encaminhamento e atendimento ao público. Camila destaca que um dos motivos que levou o município a criar o novo serviço foi o aumento de cerca de 50% na procura por atendimentos da saúde mental junto ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps) nos últimos anos.

Segundo a coordenadora, Montenegro iniciou a organização dos serviços de saúde mental no ano de 2007 com a abertura do CAPS I Novo Horizonte, voltado para o atendimento diário de pessoas que apresentam quadro de transtorno mental severo e persistente. “O Programa de Saúde Mental de Montenegro visa promover a qualidade de vida das pessoas que apresentam sofrimento psíquico, bem como de seus familiares, em uma atenção comunitária, voltada para o cuidado e a reabilitação psicossocial”, destaca Camila.

Novo espaço fica localizado na rua Ricardo Jahn, número 320, no bairro São Paulo

O Centro de Saúde Mental Infantojuvenil fica na rua Ricardo Jahn, número 320, bairro São Paulo. Para a secretária municipal de Saúde, Cristina Reinheimer, o espaço trará mais qualidade no atendimento para uma especialidade muito delicada. “A saúde mental, principalmente quando se fala de crianças e adolescentes, é um tema de extrema importância que precisa ser tratado com muito cuidado e atenção”, afirma Cristina.

Inicialmente o espaço irá atender 120 pacientes que já consultavam junto ao Caps e a pediatria do município. “Vamos centralizar em um único local os atendimentos de saúde mental da infância e da juventude. Com isso vamos unificar e ampliar os atendimentos em saúde mental”, destaca Camila Anversa. O objetivo é que o Centro de Saúde Mental Infantojuvenil também seja o local de referência para atendimentos de crianças e jovens com autismo. Segundo Camila, na legislação dos centros de saúde metal infantojuvenil consta que o autista tem como referencia esse centro de saúde metal. “Hoje a gente não temos nada específico para infância, então uma criança com autismo é atendida no Caps no mesmo ambiente que todos os outros pacientes”, explica.

Sala de Recursos será um dos locais utilizados para realizar o atendimento das crianças e adolescentes

Durante a inauguração, o Prefeito Gustavo Zanatta lembrou que o centro também será destinado para tratar as crianças e jovens que desenvolveram algum tipo de doença mental em razão da pandemia de Covid-19. Zanatta destacou que a população infantojuvenil foi uma das mais afetadas ao deixar de frequentar a escola, brincar com amigos e de abraçar os avós. “Muitos desses jovens passaram a ter algum tipo de doença mental que exige tratamento clínico. O Centro de Saúde Mental é uma resposta a essas famílias. As crianças e adolescentes que hoje sofrem, assim como os seus pais e familiares, encontrarão aqui o apoio necessário para enfrentar seus problemas com menos angústia”, afirmou.
O novo espaço contará com recepção, uma sala de recursos, dois banheiros, dois consultórios, uma oficina terapêutica, sala de espera, além de espaço de convivência, cozinha e sala de reuniões. Farão parte do quadro de profissionais: psicólogos, psiquiatra, enfermeira, assistente social, terapeuta ocupacional, artesã e educador físico.

Deixe seu comentário