Retomada das cirurgias eletivas no HM estão acontecendo de forma gradual. Foto: arquivo Jornal Ibiá

Montenegro lidera lista de municípios, com 236 pessoas esperando por procedimentos

Há mais de um ano o Hospital Montenegro estava sem realizar cirurgias eletivas. O represamento dos procedimentos aconteceu devido ao agravamento da pandemia de Covid-19, que fez com que a instituição precisasse concentrar a atenção no tratamento da doença.

De acordo com o analista administrativo do Núcleo Interno de Regulação do Hospital Montenegro, Alex Silva, com a chegada da pandemia, ainda em 2020, a instituição teve que colocar todos os esforços em função do tratamento da Covid-19. “As outras patologias acabaram ficando um pouco de lado, mas felizmente a gente está conseguindo fazer essa retomada, uma notícia bastante importante aqui para a região”, destaca.

Apesar da boa notícia, o que preocupa é o alto número de procedimentos represados. Conforme Alex, a fila de espera da instituição é composta atualmente por pessoas que já fizeram exames, avaliações médicas e tiveram indicação cirúrgica. No total são 87 pacientes aguardando cirurgias ginecológicas, 34 de bucomaxilofacial, e 505 esperam por cirurgia geral, totalizando 626 pessoas.

Montenegro lidera a lista de municípios da região com pacientes aguardando por cirurgias no Hospital Montenegro. Em cirurgia geral os três municípios com mais pessoas esperando para fazer o procedimento são: Montenegro (186), Triunfo (74) e São Sebastião do Caí (53). Já na área de cirurgia bucomaxilofacial o ranking dos três primeiros é composto por Montenegro (12), Barão (5) e Capela de Santana (4). Em cirurgias ginecológicas as três cidades com mais pacientes esperando pelos procedimentos são: Montenegro (38), Triunfo (17) e São Sebastião do Caí (7).

Mas o número é inda maior quando se fala de pacientes que esperam para realizar as primeiras consultas com especialistas. São em torno de 700 pacientes aguardando por consultas iniciais na área de cirurgia geral, outros 186 em cirurgia ginecológica e 84 de cirurgia bucomaxilofacial.

Assembleia propõe mutirão de cirurgias com recursos das privatizações
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gabriel Souza (MDB), anunciou, na tarde de segunda-feira, 2, uma iniciativa para reduzir as filas de espera por cirurgias no Rio Grande do Sul. O comunicado ocorreu durante o evento de apresentação dos resultados de uma pesquisa que mediu as prioridades e expectativas dos gaúchos em relação à saúde.
A proposta visa organizar um mutirão para procedimentos eletivos represados em consequência da pandemia de Covid-19. Para isso, prevê o custeio dos serviços com recursos das privatizações de empresas públicas efetuadas pelo Governo do Estado recentemente.

A iniciativa considerou o estudo encomendado pelo Legislativo, em parceria com o Cremers, por meio de termo de cooperação, e realizado pelo Instituto de Pesquisas de Opinião (IPO) em julho, que identificou a necessidade de atendimento da demanda reprimida de consultas, exames e cirurgias que não foram realizados entre 2020 e 2021. O presidente da Assembleia informou que já tratou do assunto com o governador Eduardo Leite que, assim como a secretária de saúde Arita Bergmann, foi receptivo. Indicadores do Cremers, com base nos registros do Datasus, apontam que entre as cirurgias que mais registraram queda no RS este ano estão as cardiovasculares (-29,6%); do sistema nervoso central e periférico (-29,7%), traumatológicos (-16%), de mama (-34,5%) e oncológicas (-30,9%). (MG)

Retomada das cirurgias será gradual
Conforme o analista administrativo do Núcleo Interno de Regulação do HM, Alex Silva, a retomada das cirurgias no Hospital Montenegro ocorre de forma gradual, iniciando com as ginecológicas. “Inicialmente estão sendo retomadas as cirurgias ginecológicas de pacientes que já estão aguardando na lista de espera do Hospital, ou seja, são pacientes que já consultaram no Hospital em um período de pré-pandemia e que desde então estavam aguardando para fazer os seus procedimentos e agora a gente está conseguindo chamá-los”, afirma Silva.

Alex aponta que a retomada das demais especialidades deve acontecer ainda esse mês se o cenário da pandemia se mantiver estável. “Vamos analisar como a pandemia vai se comportar daqui pra frente pra possivelmente retornar com as outras especialidades cirúrgicas, que seria a bucomaxilofacial e a cirurgia geral”, destaca. No entanto, ainda não há previsão para a retomada das consultas com especialista para encaminhamento cirúrgico. “A gente ainda não conseguiu retomar com as consultas, ou seja, aqueles pacientes que consultaram com um clínico geral e têm indicação para consultar com um especialista, essas consultas iniciais ainda a gente não retomou”, afirma Silva.

Para diminuir a fila de cirurgias e consultas represadas no Hospital Montenegro, Alex Silva cita como possibilidade o encaminhamento de pacientes para outros hospitais da região. “Deve ser disponibilizado um valor a nível Federal pra suprir algumas cirurgias. O HM a princípio não aderiu, mas acredito que alguns hospitais da região vão conseguir fazer”, revela.

Se confirmado o envio dos recursos para hospitais da região, Silva cita que poderá acontecer como em 2019, quando o hospital de Portão acabou fazendo algumas cirurgias. “Várias Prefeituras da região conseguiram encaminhar pacientes que estavam aguardando na nossa lista de espera em 2019. Então essa lista de espera a gente encaminhou para as secretarias de saúde para ver se conseguem encaminhar para algum outro hospital da região”, aponta.

Deixe seu comentário