“Democracia e Saúde” foi o tema desta edição, que ocorreu no Grêmio Gaúcho

Ocorreu durante toda a sexta-feira, 12, a 12ª Conferência Municipal de Saúde. A edição deste ano teve como tema “Democracia e Saúde” e o objetivo principal era discutir o assunto partindo de três eixos temáticos: Saúde como direito, Consolidação dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e Financiamento. Estes, já definidos para a 16ª Conferência Nacional de Saúde (8ª+8), que ocorrerá nos dias 4 e 7 de agosto, em Brasília.

Mais de 170 representantes da sociedade civil, profissionais, gestores e prestadores da saúde participaram do evento, que pôde refletir nos futuros planos municipais para a área.

“As propostas discutidas aqui na Conferência devem ser inspiradoras para as políticas públicas de saúde do Município. Discutimos o que se precisa e o que se deseja em termos de saúde para as coisas funcionarem melhor para todos”, relatou a chefe da Vigilância em Saúde, Silvana Schons.
Durante o turno da manhã, a especialista em saúde e representante do Núcleo de Planejamento da 1° Coordenadoria Regional de Saúde, Clarita Silva de Souza, abriu a discussão comentando sobre os três eixos da conferência. “Esse é um momento de democracia, de luta e de organização das propostas, pra nós convencermos o nosso governo que precisamos de mais”, argumentou.

Pela tarde, foram formados grupos para a retirada de propostas para a saúde e, em seguida, a eleição dos delegados que irão para a Conferência Estadual de Saúde no mês de maio em Porto Alegre.

Foram escolhidos 12 representantes para esta etapa, sendo seis usuários do SUS, três trabalhadores do SUS e três prestadores e/ou gestores de saúde.

Deixe seu comentário