PARTICIPANTES receberam noções sobre como aproveitar melhor a força dos cavalos nas propriedades rurais foto: CETAM

Qualificação. Cavalo é símbolo de trabalho, paixão e lazer entre alunos vindos de várias regiões gaúchas até o Cetam

Até quarta-feira, uma turma de dez alunos de diferentes cidades do estado estará em Montenegro aprendendo sobre comportamento, nutrição e saúde de equinos, assim como a cuidar de utensílios e instalações bem como o manejo do casco de cavalos, entre outros aspectos. O que uniu essas pessoas? A paixão pelo cavalo foi uma das repostas mais frequentes na apresentação pessoal que cada um dos alunos fez na abertura do curso, na manhã desta segunda-feira, no Centro de Treinamento de Montenegro (CETAM).

Sabine Kasinger
professora Sabine Kasinger

Essa é a primeira edição do curso Manejo Básico do Cavalo em 2017. São 24 horas de atividades, divididas em três dias. As aulas são ministradas pela médica veterinária da Emater/Ascar de Cristal e doutora em comportamento animal, Sabine Kasineger. Após uma pesquisa aplicada pela Emater, foi constatado que o cavalo é amplamente utilizado na agricultura familiar, seja para lida campeira ou para o lazer na propriedade. “Notamos que a substituição dos cavalos por máquinas ainda não existe. Vamos abordar os principais assuntos que envolvem a criação de cavalos, relação do homem com o animal; métodos de doma para evitar traumas e acidentes tanto para o homem quanto para o cavalo”, destaca.

Um dos pontos que também devem ser discutidos diz respeito às doenças, em específico, o Mormo, que andou preocupando criadores de todo o Rio Grande do Sul. “É uma doença na qual o cavalo é portador e, além de não ter cura, o animal pode passar para os demais. O Mormo é muito parecido com outras doenças respiratórias. Vamos mostra no curso a necessidade de fazer os exames para Mormo, a importância dos testes e do isolamento. Também tudo o que eles precisam identificar em um animal para saber quando chamar um médico veterinário”, explica Sabine.

José Altamir e Gladis Carvalho
Casal José Altamir e Gladis Carvalho sonham em disputar o Freio do proprietário com animal do próprio haras que administram, em Guaíba

Aprendendo a lidar com um animal dócil
Moradores de Guaíba, na região metropolitana de Porto Alegre, José Altamir de Oliveira Carvalho, 54 anos, e a esposa Gladis Ribeiro Carvalho, de 55, estão começando uma pequena criação de Crioulos na cidade onde moram. E, para eles, o conhecimento é fundamental nesta área. “A necessidade de aprimoramento me trouxe aqui. De aprender o manejo com o animal que é praticamente uma extensão da família. Quanto mais conhecimento, melhor para desenvolver o projeto que a gente tem”, afirma o criador.

Dona Gladis diz que os animais sempre surpreendem. “É uma paixão, por mim passava o dia tratando deles, mas temos outros afazeres”, diz ela, ao fazer graça sobre as tarefas domésticas. O maior sonho deles é disputar o freio do proprietário, uma prova oficial da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) com cavalos do próprio haras.

Natália Michelloto
Apaixonada pelos animais, a estudante de Medicina Veterinária Natália Michelloto busca conhecimento para cuidar de cavalos depois de formada

Já a estudante de Medicina Veterinária Natália Michelloto, de 22 anos, veio de Anônio Prado, na Serra Gaúcha. Ela encara os cavalos como trabalho e esporte. Praticante das provas de laço, busca aperfeiçoamento. “Os meus animais são dóceis. Quero saber lidar com cavalos de modo geral, aperfeiçoar o que eu já sei e o que eu aprendi na faculdade”, diz a jovem.

Se bem tratado, um cavalo pode durar até 30 anos na lida do campo, explica o gestor de Cursos do Cetam, Gustavo Krahl de Vargas.

Centro de Treinamento atrai jovens e idosos
Por ano, passam pelo centro de Treinamento de 600 a 800 alunos que buscam qualificação nas áreas de bovinocultura, apicultura, fruticultura e horticultura agroecológica, piscicultura além de tratos com equinos e agroindústria. Os cursos são abertos para especialistas ou para pessoas que não possuem conhecimentos técnicos, interessadas em aprender sobre um destes campos do saber. “Já tivemos uma aluna com mais de 80 anos de idade em 2016, no curso de apicultura”, relata o gestor, que ainda diz que há espaço no Cetam para a complementação dos estudos regulares de nível técnico superior. “Tem muitos alunos de escolas agrotécnicas da região que vêm fazer cursos conosco e alguns ficam como estagiários. Pessoal da graduação também faz estágios aqui”, aponta. Ao final do curso, os alunos recebem um diploma de certificação.

Neste mês, ainda estão abertas as inscrições para os cursos de Apicultura e Criação da Terneira e da Novilha. Já o curso de Inseminação Artificial já está com todas as vagas preenchidas em março. Novas vagas devem ser ofertadas somente para o mês de abril. Há valores diferenciados para produtores inscritos no Programa Nacional da Agricultura Familiar (Pronaf). “O pessoal deve procurar informações dos cursos nos escritórios da Emater. Temos parceria também com Sicredi, que dá desconto de até 90% na inscrição dos cursos, conforme a região do cooperativado”, explica Gustavo.

O valor da inscrição cobre hospedagem e alimentação dos alunos. Até o final do ano, devem ocorrer mais três edições do Curso de Manejo Básico de Cavalos.

CURSOS ABERTOS MARÇO DE 2017
– 15 a 17/03 – apicultura
– 27 e 28/03 – criação de terneira
– 28 a 30/03- processamento artesanal de pescado

Curso manejo básico de cavalos 2017 :
– 2ª edição de 31/05 a 02 de junho
– 3ª edição de 25 a 27 de setembro
– 4ª edição de 11 a 13 de dezembro

Reservas de vagas: (51) 3632 12 61 ou por e-mail: ctmontenegro@emater.tche.br. Inscrições: escritórios municipais da emater. Mais informações: www.emater.tche.br

Compartilhar

Deixe seu comentário