Prefeitura determinou exonerações ainda na terça-feira. FOTO: ARQUIVO IBIÁ/ACOM

O prefeito Gustavo Zanatta determinou a exoneração do Diretor de Habitação, do Diretor de Desenvolvimento Rural e do chefe da Seção de Programas e Projetos Sociais da Prefeitura. Os três cargos vinham sendo ocupados por CC’s com relação de parentesco com vereadores do Município; situação que vinha gerando desgaste ao governo e acusações de prática de nepotismo cruzado. No Desenvolvimento Rural estava o genro do vereador Juarez Vieira da Silva (PTB); na Seção de Projetos Sociais, o irmão da vereadora Camila Oliveira (Republicanos) e – num caso que ainda não havia vindo a público – na Habitação estava o cunhado da vereadora Ana Paula Machado (também do PTB).

Especialista ouvida pelo Jornal Ibiá na semana passada explicou que a nomeação dos parentes, de fato, não se enquadra como o chamado “nepotismo cruzado”. Isso, por não ter havido uma contrapartida direta, com a nomeação de familiares do prefeito na Câmara de Vereadores. Porém, Bianca Pazzini, professora de Direito Administrativo na Fundação Escola Superior do Ministério Público, apontou que as nomeações eram passíveis de investigação por poderem estar ferindo princípios da moralidade, impessoalidade e eficiência na gestão pública.

Na manhã dessa quarta-feira, 22, o governo Zanatta emitiu nota sobre a decisão pelas exonerações. “A Administração Municipal ressalta que as pessoas foram nomeadas com base em sua formação e capacidade e não pela expectativa de apoio dos vereadores. Este deve ser fruto unicamente dos acertos do governo nas ações de interesse da população”, explicou. “Contudo, no momento em que o tema desvia o foco dos gestores daquilo que realmente importa, a exoneração foi a medida que se impôs.”

À reportagem, a vereadora Ana Paula lamentou a situação. Defendeu que o cunhado, no governo desde o início, foi escolhido por suas qualificações, mas disse compreender a decisão de Zanatta. Já o vereador Juarez se disse tranquilo sobre o assunto. “Eu até sinto pela questão profissional, técnica, porque essas pessoas vinham desenvolvendo um trabalho notável. Mas é tranquilo porque, assim como o prefeito o convidou (o genro) para trabalhar diante da experiência dele e de todo um trabalho que ele já tinha feito na Prefeitura de Pareci Novo, agora ele achou por bem retirar. Com certeza, não foi nepotismo cruzado, mas é uma decisão do prefeito e, para mim, não há problema algum”, comentou. A vereadora Camila, por sua vez, preferiu não se pronunciar sobre o caso. Ainda não há os novos nomes que ocuparão os cargos.

Deixe seu comentário