FotoS: ARQUIVO/IBIÁ

QUESTIONÁRIOS apontaram erros e acertos em 2021

A Administração de São José do Sul, capitaneada por Juliane Bender, do PSD, é a melhor avaliada da região de cobertura da versão impressa do Jornal Ibiá; que engloba também os municípios de Brochier, Maratá, Montenegro e Pareci Novo. É o que mostraram as enquetes on-line promovidas pelo Ibiá entre o fim do ano passado e o início deste ano para a avaliação dos primeiros anos de mandatos dos gestores municipais. 77,1% dos que responderam sobre São José do Sul avaliaram a gestão de Juliane como “boa” ou “ótima”.

Em 2º lugar está Maratá, com 75% das avaliações como “boa” ou “ótima”. Os montenegrinos colocaram a administração de Gustavo Zanatta, do PTB, em 3º, com 69,8% das respostas positivas entre “boa” ou “ótima”. Os números, ilustrados no gráfico abaixo, revelam a aprovação das comunidades aos seus novos gestores; eleitos em 2020.

Das avaliações negativas, do outro lado, os percentuais foram bem menores em todas as enquetes feitas. Foi o governo de Maratá o que recebeu a maior proporção de críticas como “péssimo”, com 12,5% das respostas.

Os resultados ainda evidenciam a divisão de opiniões dentre os cidadãos. Ao categorizar as respostas negativas “ruim” e “péssimo” juntas; é o governo de Pareci Novo – o que mais recebeu avaliações como “ótimo” – o que acabou sendo o pior avaliado: 17,6%. Demonstra, de certa forma, uma divisão quanto à gestão de Paulo Barth, do PDT.

As áreas da gestão bem e mal avaliadas pelos participantes das enquetes ajudam a entender os critérios usados por quem respondeu. Veja a seguir.

Os erros e acertos dos gestores

BROCHIER – Clauro Josir de Carvalho
FOI BEM: Manutenção das estradas (53,1% das respostas); Obras (28,6%); e Educação (24,5%).

FOI MAL: Políticas de desenvolvimento pra Indústria e Comércio (38,8%); Agricultura (22,4%); e, empatados, Turismo e Educação (16,3%). Último item foi um dos mais citados dentre os que bem e os que mal avaliam o governo.

Em sua própria avaliação da gestão, o prefeito Clauro (Progressistas) fez uma análise bem parecida da que trouxe a população no questionário. Em entrevista à Rádio Ibiá Web, o chefe do Executivo citou a entrega de obras, dentre elas a da quadra da escola Erni Oscar Fauth, como ponto alto do início de mandato. A meta, segundo ele, é que as obras sigam; especialmente às relacionadas a pavimentação. Por outro lado, Carvalho ressaltou, em sua fala, um trabalho voltado à gestão econômica e incentivos às agroindústrias. Mesmo assim, a área da Indústria e Comércio foi a mais citada como ponto onde o governo municipal ainda precisa melhorar.

MARATÁ – Gisele Adriana Schneider
FOI BEM: Educação (29,2%); Turismo (25%); e, empatados, Agricultura e Gestão de Recursos (16,7%).

FOI MAL: Indústria e Comércio (33,3%); Agricultura (29,2% – em volume maior do que os que citaram como destaque); e Manutenção das estradas (20,8%).

A prefeita também falou à Rádio Ibiá Web sobre seu 1º ano. Antes da divulgação do questionário, disse que 2021 foi de planejamento; e destacou como conquistas, na Educação, a aquisição de novo sistema de ensino e, no Turismo, a conclusão do Plano de Turismo, o embelezamento da cidade e a Oktoberfest. Foram as áreas de destaque. No que tange a Agricultura, que dividiu opiniões dentre os avaliadores, adiantou que trabalha em projeto pra subsidiar horas-máquina aos produtores. Já à Indústria e Comércio, a mais criticada, apontou a parceria com Sebrae para a oferta de qualificação e a aproximação com os empresários.

PARECI NOVO – Paulo Alexandre Barth
FOI BEM: Educação (44,10%); Agricultura (35,3%); e Obras (26,5%).

FOI MAL: Indústria e Comércio (23,5%); e, empatados, Turismo e Iluminação Pública (20,6% das respostas).

Convidado a avaliar o 1º ano de mandato, antes da divulgação do questionário, o prefeito ressaltou a realização de obras – terceira das mais votadas como destaque em sua gestão. Citou, assim, a conclusão das pavimentações financiadas pelo Avançar Cidades e o asfaltamento de Vila Progresso. Também projetou um 2022 de novas intervenções com recursos próprios e vindos de fora. O plano de governo do prefeito tinha, no âmbito da área mais criticada pelos munícipes – a Indústria e Comércio – a implantação de projetos de educação profissional e tecnológica presencial e à distância para jovens e adultos. Eles não foram pra frente em 2021, segundo o prefeito, por conta da pandemia. A comunidade parece ter notado.

MONTENEGRO – Gustavo Zanatta
FOI BEM: O maior destaque foi a Saúde, com 42,9% das respostas. A área, porém, não foi avaliada dentre as demais administrações da região. Das restantes, figuraram como destaques: Assistência Social (16,8%); Obras (15,5%); e Manutenção das estradas (15,1%).

FOI MAL: Manutenção das estradas (43,3%, em volume bem maior dos que citaram a área como destaque); Saneamento básico (15,8%) e, também dividindo opiniões, Obras (17,7%)

Como os demais chefes de Executivo, Gustavo Zanatta, do PTB, também foi convidado a avaliar seu primeiro ano de gestão antes da divulgação do questionário. E ele citou a Saúde – grande destaque nas respostas – como uma das áreas principais. Isso, com as medidas relacionadas à pandemia, o socorro financeiro ao Hospital Montenegro e o Programa Fim da Espera, que fez andar a fila por exames na cidade. Sobre a área mais criticada, o prefeito também comentou como a falta de maquinário e de mão de obra impacta negativamente o serviço, mas projetou avanços, como a recente habilitação de uma saibreira no interior, para colocar a demanda das estradas em dia.

SÃO JOSÉ DO SUL – Juliane Maria Bender
FOI BEM: Turismo (35,4%); e, empatados, Agricultura e Cultura (29,2%)

FOI MAL: Manutenção das estradas (27,1%), Indústria e Comércio (25%); e, empatados, Educação e Saneamento básico (18,8%)

Ao fazer a sua autoavaliação, em entrevista à Rádio Ibiá Web, a prefeita Juliane Bender, do PSD, apontou que o primeiro ano foi de aproximação com a comunidade. Como destaque, citou a organização da festa municipal, o que talvez explique como o Turismo seja a área mais bem avaliada de sua gestão. A chefe do Executivo ainda citou a reestruturação do programa de bônus incentivo e a implantação do distrito industrial como projeções para este 2022. Acabam vindo de encontro à crítica da falta de incentivo à Indústria e ao Comércio. Também são previstas obras de pavimentação neste ano, como o asfaltamento na Linha Progresso.

Deixe seu comentário