Dos dez vereadores que fazem parte da atual composição da Câmara, pelo menos oito já confirmaram que vão tentar a reeleição. As exceções são Erico Velten, do PDT, e Rose Almeida, do PSB, que não terão seus nomes nas urnas eletrônicas este ano. Os demais, todos exercendo o primeiro mandato, contam com a confiança dos eleitores para seguir no legislativo.

Erico também era novato quando assumiu, em 2017. Mas, na legislatura anterior, ficou na suplência do PDT e chegou a ocupar o cargo por curtos períodos, durante licenças dos titulares. Na eleição de 2016, foi o único escolhido do PDT e até exerceu a presidência da Câmara em 2017, numa gestão bastante contestada pelos colegas. Desde o ano passado, responde a denúncias de assédio e por exigir o repasse de parte do salário de uma assessora a um cabo eleitoral. Velten disse que está deixando a política.

Já a vereadora Rose Almeida conquistou seu primeiro mandato em 1996 e depois foi reeleita mais quatro vezes. Servidora pública aposentada, na maior parte de sua trajetória política, foi filiada ao Progressistas, mas migrou para o PSB em 2016 devido a divergências internas com a direção da legenda. Rose diz que vai “dar uma parada”, mas garante que estará ao lado do partido e dos seus candidatos na disputa pelos votos dos montenegrinos. “Eu gosto muito da política, mas preciso descansar um pouco”, acrescenta. No pleito de 2016, ela foi a única reeleita entre os oito que estavam em campanha.

Os pré-candidatos a mais um mandato são Neri de Mello Pena, o “Cabelo”, e Juarez Vieira da Silva (PTB), Joel Kerber e Talis Ferreira (Progressistas), Cristiano Braatz e Felipe Kinn da Silva (MDB), Josi Paz (PSB) e Valdeci Alves de Castro (Republicanos).

Deixe seu comentário