Mulher, semana, reunião, violência, beleza
Evento na Câmara reuniu vereadores e representantes de várias entidades para definir a programação. Atividades irão destacar o papel da mulher

Programação terá atividades variadas entre os dias 3 e 10 de março, mas novos eventos ainda podem ser incluídos

O plenário da Câmara sediou, esta semana, um encontro para organizar a programação da Semana da Mulher Montenegrina, instituída por Lei municipal em 2003 e comemorada, todos os anos, entre os dias 3 e 10 de março. Conforme a vereadora Josi Paz (PSB), presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH), a quem compete organizar as atividades, este ano, foram convidados representantes de diversas entidades, objetivando sugerir eventos.

Segundo Leila Ternes, diretora de Assistência Social da Prefeitura, a proposta é valorizar ainda mais a mulher em seus diferentes setores de atuação. “Tanto aquela que está empregada como a que fica em casa e que, nem por isso, trabalha menos que aquela que faz dupla jornada”, ressaltou.

O presidente do Legislativo, vereador Neri de Mello Pena (PTB), o “Cabelo”, salienta que a mulher é importante desde o dia em que a pessoa nasce.

“Começando pela mãe da gente, pela esposa, assim como no dia-a-dia de cada um de nós. Todas as nossas famílias começam por uma mulher. Vamos valorizá-las melhor”, defendeu.

Na opinião da vereadora Rose Almeida (PSB), trata-se de um momento de extrema importância para todos os legisladores, independente do sexo. Ela tem o sonho de ver a Câmara composta por, no mínimo, 50% de mulheres. “Eu e a Josi estamos representando aqui a mulher montenegrina, com muita garra e muito ânimo”, sublinhou.

Representantes da Patrulha Maria da Penha mencionaram que, dos cerca de 420 participantes do Curso de Formação de Soldados, 60 são mulheres. Todos estão sob o comando de uma capitã. Sugeriram que fosse promovido algo dando visibilidade ao que qualificaram de “empoderamento”, pelo fato de uma policial feminina ter sido designada para comandar mais de 400 homens e mulheres.

O presidente da Câmara ainda propôs que fossem trazidos a público os números reais dos casos de violência feminina, para que a comunidade tenha a noção do quanto o problema é assustador. Segundo as estatísticas, em Montenegro, mais de 1.300 mulheres foram vítimas de violência em 2016.

Sugestões até segunda-feira
Para reforçar a importância de as mulheres terem informações sobre os locais onde podem buscar ajuda quando são vítimas de violência, o vereador Felipe Kinn contou que, às 21 horas da noite de domingo passado, recebeu uma ligação de mulher dizendo estar sendo ameaçada, não sabia o que fazer e estava com medo. Ele defende que seria interessante a participação, na semana, de entidades que pudessem prestar esta informação, que muita gente, às vezes, não sabe.

Entre as sugestões apresentadas, a realização de palestras sobre a prevenção ao câncer de mama. Foi citado que, em Montenegro, existe o grupo “As Amigas do Peito”, que tem uma parceria da Unimed, sendo composto por mulheres que tiveram a doença e estão recuperadas, e poderiam falar sobre sua experiência para a comunidade. A vereadora Josi pediu que outras sugestões sejam encaminhadas à Câmara até a próxima segunda-feira, dia 20.

Eventos definidos
Até o momento, foram definidos os seguintes eventos:
– 06/03: Bate-papo literário e sessão de autógrafos, com a presença dos três últimos patronos da Feira do Livro: Márcia Martiny, Carina Luft e Oscar Bessi Filho, para discutir a importância da mulher no meio literário e a literatura como inserção social.
– 08/03, Dia Internacional da Mulher: evento na Praça Rui Barbosa, pela manhã, com atrações musicais. À noite, show promovido pelo SESC.
– 09/03 – Sessão Comemorativa, na Câmara de Vereadores.
– 10/03 – Culto Ecumênico, seguido de jantar de encerramento.

Deixe seu comentário