Encontros vêm ocorrendo semanalmente, sempre nas manhãs de segundas-feiras

A proximidade do relacionamento entre o poder Legislativo e o Executivo de Montenegro vem chamando atenção nesse início de mandato. Além da presença de representantes do governo em todas as sessões ordinárias da Câmara de Vereadores, toda semana ocorrem reuniões entre os poderes que, na palavra de seus representantes, vêm facilitando o trabalho de ambas as partes. Os encontros têm dado mais informações e embasamento para o trabalho dos vereadores e, do outro lado, mais rapidez no andamento de projetos do Executivo.

“Essas reuniões ocorrem pra tratar de diversos assuntos e para que se consiga ter um alinhamento”, explica o vice-prefeito, Cristiano Braatz. “Nem tudo aquilo que um ou outro aborda, nós vamos concordar, mas se tem uma relação de transparência. Tem sido muito positivo e propositivo.” Os encontros ocorrem na Câmara nas segundas-feiras. Começam às 9h30min e vão até, no mínimo, 11h. Além dos vereadores, participam o prefeito e/ou o vice; e tem ocorrido um rodízio de secretários municipais que comparecem para prestar informações e apresentar as demandas e projetos que têm em suas pastas.

“Até para não ocorrer um problema de chegar na sessão de quinta-feira e o vereador, sem conhecer o processo que está sendo feito dentro da secretaria, falar alguma coisa que, às vezes, não é o real”, aponta o presidente do Legislativo, Juarez Vieira da Silva. “A gente agenda uma semana com cada um; ou da necessidade do secretário de trazer algo, ou da necessidade de cada vereador que quer buscar explicações quanto a algum andamento do trabalho da secretaria. Aí, no coletivo, são passadas todas as informações.”

Sempre um dia antes da reunião da Comissão Geral de Pareceres (CGP), os encontros entre os poderes têm servido também para que os vereadores tirem suas dúvidas quanto a projetos de lei antes da análise oficial da proposta. É um caminho mais rápido do que a alternativa de ter o primeiro contato com o projeto apenas na CGP e precisar marcar uma reunião posterior para sanar eventuais dúvidas; processo que atrasa em, pelo menos, uma semana a votação da proposta. “Não que a gente queira que seja aprovado o quanto antes o projeto, mas para que não fiquem pairando dúvidas e protelando algumas ações que a gente pode esclarecer antes”, coloca Braatz.

A boa relação tende a fazer a diferença também na busca de emendas parlamentares do Estado e da União. “Eu, na legislatura passada, tive bastante dificuldade com isso porque de várias emendas que eu poderia ter trazido, a Administração não tinha projeto. Então, até correr e fazer, já tinha passado a emenda” relata Vieira. “O prefeito colocou para todos os vereadores que tiverem demandas de alguma sugestão de projetos, que tragam isso já para a secretaria para ele ser elaborado. Aí, nós vamos buscar emendas do que temos projeto e, realmente, efetivar e executar o que a gente trouxer de recurso.”

Para o presidente da Câmara, a iniciativa e autorização para que o Município fizesse as rótulas da RSC-287 foram o primeiro resultado dessa convergência. “Foi uma das primeiras ações que a gente fez, tanto eu como presidente, como o Gustavo como prefeito; de ter essa união e essa conversa com todos”, conta. “O que dá, se diz que dá. O que não dá, se diz que não dá. Dessa forma, eu acredito que o Município só tem a ganhar porque as coisas se resolvem, realmente. Não fica um puxando pra cada lado.”

Deixe seu comentário