Comitê reúne os três Poderes, 16 instituições e nove secretarias de Estado. Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

PC divulga número para sociedade “meter a colher” nas brigas entre marido e mulher

A Polícia Civil gaúcha é pioneira ao disponibilizar um número de WhatsApp para que a população possa denunciar casos de violência doméstica. A ferramenta chega para somar às ações previstas pelo Governo do Estado no combate aos abusos sofridos pelas vítimas, principalmente, durante o período de isolamento social. Em uma live realizada pelo Programa de Oportunidades e Direitos (POD), a chefe de Polícia, delegada Nadine Tagliari Farias Anflor, destacou a importância do papel de cada cidadão no enfrentamento à violência em suas múltiplas formas de apresentação: moral, psicológica, patrimonial, sexual ou física.

Conforme a chefe de Polícia, casos suspeitos de violência podem ser denunciados, anonimamente, pelo número 51 9 8444 0606. “Somos a única Polícia Civil do País a abrir um canal de denúncia via WhatsApp. Entendo que a ampliação desses canais fará com que as mulheres denunciem e, através dos setores de inteligência, possamos chegar a essa vítima, oferecer nossos serviços e verificar se realmente há violência”, acrescentou a delegada.

Vídeos, fotos, ou até mesmo áudios de desentendimentos podem ser encaminhados via WhatsApp. O conteúdo será repassado para os setores competentes das delegacias mais próximas ao local mencionado na denuncia. Para Nadine, combater a violência doméstica requer o esforço de todos, não apenas das autoridades de segurança e governos, por isso o canal de WhatsApp é tão importante, pois possibilita que qualquer um possa “meter a colher” em um problema que é social.

Comitê de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher
Há uma semana, no dia 7, o Governo do Estado lançou o Comitê Interinstitucional de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher. Inserido nas estratégias do Programa RS Seguro, a iniciativa transversal já nasce com uma tarefa estruturada, o Projeto Agregador, que reúne o trabalho dos três Poderes, 16 instituições das esferas municipal e estadual, além de nove secretarias de Estado.

Do planejamento à execução de ações concretas, o objetivo central é fortalecer a rede de apoio às vítimas e promover entre os gaúchos uma mudança de cultura, que valorize a proteção da mulher na sociedade em todas as suas formas, tendo como premissa a atuação integrada. Com participação direta de todos os membros do Comitê Interinstitucional, sob coordenação da secretaria-executiva do RS Seguro, o Projeto Agregador identificou os desafios a serem enfrentados, validou as linhas de ação, e propôs o desenvolvimento de 11 projetos. Destes, cinco foram priorizados para início imediato. O primeiro deles foi concretizado com a assinatura do decreto pelo governador do Estado, instituindo o Comitê Interinstitucional. Os outros quatro estão voltados para: monitoramento do agressor; ações nas escolas; informar, prevenir e proteger; grupos reflexivos de gênero.

Onde buscar ajuda
Com a pandemia do novo coronavírus, a Delegacia Online passou a receber registros de casos de violência doméstica. Segundo a chefe da Polícia Civil do Estado, essa possibilidade será mantida, mesmo quando o surto do vírus tiver sido controlado. Além disso, cada município dispõe de canais próprios para denúncias. Em Montenegro é possível buscar ajuda através dos seguintes contatos:

Disque-denúncia: 180
Delegacia: (51) 3649-0000 ou plantão
(51) 98416-8115 (também WhatsApp)
Deam: (51) 98443-7970 (também WhatsApp)
Brigada Militar: 190
Escuta Lilás: 0800 541 0803
Comdim: (51) 99609-9049

Feminicídios caem 86% em julho
Enquanto julho de 2019 teve 14 mulheres assassinadas por razões de gênero no Estado, o total de vítimas no mês passado caiu 86%, para duas vítimas – o menor número para o mês em toda a série histórica, iniciada em 2012. Com essa retração, a soma de feminicídios em 2020 chegou a 53, dois a menos (-4%) do que os 55 registrados no mesmo período do ano passado, interrompendo a tendência de alta que se verificou no primeiro semestre. Os dados integram os indicadores criminais apresentados na manhã dessa quinta-feira,13, pelo Governo do Estado.

Deixe seu comentário