A Polícia Civil localizou a cova onde o corpo foi enterrado, em Portão, e depois desenterrado para ser carbonizado. Foto: PC

Vítima foi torturada e morta. As investigações incluíram cidades como Feliz e Vale Real

A Polícia Civil desvendou uma série de acontecimentos envolvendo o assassinato do taxista Sérgio Jaime Bernardes, de 64 anos. Nessa terça-feira, 9, foram cumpriu 14 ordens judiciais em cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a ação visa esclarecer o caso. O motorista foi visto pela última vez, com vida, no dia 28 de março, no interior de Rolante, no Vale do Paranhana. O corpo da vítima foi localizado no último sábado, em Canoas.

Na operação dessa terça-feira, foram cumpridos três mandados de prisão e 11 de busca e apreensão na Penha, no litoral catarinense, além dos municípios de Arroio do Sal, Rolante, Portão e Feliz. O município de Vale Real, no Vale do Caí, também esteve na rota da investigação.

O taxista não era o alvo dos bandidos mas, mesmo assim, acabou morto. Foto: Arquivo Pessoal da família de Sérgio Jaime Bernardes

Dois homens foram presos, um deles em flagrante por posse de arma. Dois suspeitos ainda seguem foragidos. Outros dois foram presos durante as investigações, ainda na semana passada, em Santo Antônio da Patrulha. Segundo a polícia, os indivíduos seriam traficantes de drogas e estariam envolvidos no desaparecimento do taxista.

No sábado, 6 , a Polícia Civil encontrou um corpo no porta-malas de um carro em Canoas. Conforme o delegado Thiago Carrijo, titular da Delegacia de Homicídios do município, o veículo, um Focus de cor cinza, ainda estava em chamas quando foi achado. A Polícia localizou a cova onde o corpo foi enterrado e desenterrado, para posteriormente ser colocado no carro e queimado. O indivíduo que enterrou a vítima foi preso na manhã de ontem.

Segundo a investigação, o taxista não era o alvo dos assassinos, mesmo assim, os bandidos levaram a vítima de Rolante até uma residência no bairro Estação, em Portão, para tentar chegar ao verdadeiro alvo. No local, o taxista teria sido torturado por cerca de meia hora e depois morto, com o próprio sinto, pelos bandidos.

Deixe seu comentário