ATAQUE direto à vítima para roubar o carro é o foco do 5º BPM em 2019. Mas outros crimes não serão esquecidos. Foto: Ilustração/ Internet

Balanço. Números do 5º BPM apontam, no entanto, menos furtos de carros

Os números da criminalidade nas nove cidades sob responsabilidade do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) sustentam a expressão “sensação de segurança” usada pelas autoridades policiais. Em que pese que a maioria dos crimes monitorados pelo Programa Avante tiveram recuo, somente aqueles cidadãos vítimas que formam a porcentagem dos crimes ocorridos sabe o que sofreu e pode discordar de uma tese de melhoria.

Em todo caso, o visível trabalho das forças policiais traz resultados que devem ser considerados. O tenente-coronel João Luiz Machado, comandante do Batalhão sediado em Montenegro defende essa redução das ocorrências. Ele explica que assim que um “pico” de determinado delito é detectado os trabalhos de enfrentamento iniciam. A prática segue a teoria da Operação Avante, de identificar um problema e trabalhar nele com ações bem direcionadas.

“Com a participação do nosso pessoal do Setor de Inteligência que faz o levantamento dos fatos e passa para o pessoal do policiamento. Assim, a gente consegue reduzir os índices criminais”, explica. O oficial exemplifica que se ocorrer um índice desfavorável no mês de julho, em agosto ou setembro, no máximo, esse já estará baixando. “O pessoal da Zona Rural não costuma registrar ocorrência, nos casos de abigeato, por achar que está perdendo tempo”, comenta.

COMANDANTE Machado explica que estratégia tem foco específico

Todavia, Machado insiste que se o registro de um crime não for feito a população está facilitando a vida do criminoso. Já se houver Boletim de Ocorrência (BO), Brigada Militar e Polícia Civil, em conjunto, focarão no enfrentamento daquele índice. Quanto aos números, revelou que o roubo de veículos surpreendeu. “Já estamos programando ações com a Polícia Civil para que não se chegue a janeiro do ano que vem com esse índice elevado”, declarou.

O comandante também fez questão de salientar que, independente do volume, todos os crimes recebem a devida atenção, em um trabalho homogêneo. “Roubaram um veículo, esse vai fazer falta pra alguém. Roubaram uma ovelha do produtor, esse animal é o sustento dele. A gente não se acomoda, estamos sempre tentando baixar os números”, diz.

O que é o Programa Avante
A Polícia Militar Gaúcha usa uma metodologia estruturada para possibilitar que sejam priorizadas as necessidades mais latentes e, consequentemente, sejam definidos os resultados a serem alcançados. Vale-se da estratégia organizacional e da cultura de gestão como base para sua evolução, no qual a chave é o “Programa Avante”. Ele possui como pilares a gestão por resultados, a reestruturação dos processos e a maturidade na gestão de projetos estratégicos, o compartilhamento de boas práticas e a valorização profissional, através do reconhecimento dos efetivos e da ampliação do processo de aprendizado organizacional.

Índices do 5º BPM
Homicídios/Latrocínio
2017 – 12
2018 – 9
Queda de 25%
Furto de Veículos (sem presença da vítima)
2017 – 63
2018 – 49
Queda de 32%
Roubo de Veículos (com rendição da vítima)
2017 – 26
2018 – 34
Alta de 12%
Roubo a pedestre
2017 – 80
2018 – 56
Queda de 21%
Roubo a comércio
2017 – 33
2018 – 26
Queda de 22%
Roubo à residência
2017 – 13
2018 – 13
Sem variação
Furto Abigeato
2017 – 32
2018 – 29
Queda de 9%

Alguns números no Vale
– As três maiores cidades do Vale do Caí lideram as ocorrências de roubo em residência (Montenegro = 14 casos, Triunfo = 12, São Sebastião do Caí = 8) e roubo de veículo (Montenegro = 22, Triunfo = 21, Caí = 09);
– Os roubos em residência ocorrem na sua maioria nas quartas-feiras, seguida de sábados e domigos;
– Em 2018, Triunfo registrou o maior número de homicídios, com oito casos.

Deixe seu comentário