O projeto João e Maria sem Violência irá envolver a rede de proteção à mulher

Foi lançado em Montenegro o projeto Maria e João sem Violência. A iniciativa é coordenada pela Central Única das Favelas (Cufa) de Montenegro com a parceria da Delegacia de Atendimento Especializado à Mulher (Deam), Poder Judiciário e Ministério Público.

Conforme o coordenador da Cufa, Rogério Santos, o projeto tem o objetivo de acolher homens autores e mulheres vítimas de violência, e diminuir a violência de gênero. Maria e João sem Violência é coordenado por uma equipe formada pela educadora social e presidente do Conselho Municipal de Defesa da Mulher (Comdim) Carliane Pinheiro, a Kaká, pelo sociólogo e coordenador da Cufa Rogério Santos e pela delegada Cleusa Tânia de Oliveira Spinato.

O projeto visa oferecer um espaço diferenciado de socialização para os homens, pois na sociedade acabam sendo limitados e criam modelos de masculinidade hegemônica. João e Maria sem Violência também pretende estimular formas de socialização não violenta e de resolução de conflitos pelo diálogo.

Conforme o projeto, a maneira como a sociedade lida com o autor da violência atinge a vida das mulheres. Na Rede de Enfrentamento e Atendimento à Mulher em situação de Violência de Montenegro ainda não há um trabalho específico aos homens. “O projeto é um marco no enfrentamento à violência”, diz Rogério.

Será oferecida escuta psicológica e apresentado o projeto. Após eles serão encaminhados para formar um grupo de cinco a 10 participantes, em que através dos círculos de paz da justiça restaurativa serão abordadas diferentes temáticas por cinco encontros quinzenais.

O projeto foi apresentado por Carliane e Fernanda Klunck. O lançamento contou com a presença da juíza Deise Vicente, promotora Daniela Tavares da Silva Tobaldini, secretário de Assistência Social e Cidadania Marcelino Rosa, secretária de Saúde Cristiane Reinheimer, representantes do 5º Batalhão da Polícia Militar (5º BPM) e Recreo.

Deixe seu comentário