O Piseg possibilita a empresários destinar até 5% do saldo devido de ICMS ao Estado para serem aplicados na compra de itens para a Segurança. Foto: arquivo Jornal Ibiá

No Estado, programa supera R$ 35 milhões arrecadados para qualificação da Segurança

Enquanto o Rio Grande do Sul comemora a marca de R$ 35 milhões em arrecadação do Programa de Incentivo ao Aparelhamento da Segurança Pública (Piseg), Montenegro se esforça para conquistar empresas interessadas em colaborar com a iniciativa. O Piseg possibilita a empresários destinar até 5% do saldo devido de ICMS ao Estado para serem aplicados na compra de itens para a Segurança.

Conforme a secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP/RS), a política que permite a colaboração entre iniciativa privada e poder público para qualificar a proteção da sociedade deu um salto em 2021, superando a marca de R$ 35 milhões revertidos para ações de prevenção e compra de novas ferramentas às forças vinculadas à secretaria. Até outubro de 2020, o montante era de R$ 10 milhões – só em maio deste ano, foram arrecadados R$ 4 milhões.

Com parte desse total, em diversas regiões do Estado, já foram encaminhadas aquisições de viaturas, armamentos, itens de comunicação e equipamentos de proteção individual (EPIs) como coletes balísticos e capacetes. A má notícia é que Montenegro ainda não faz parte dos municípios contemplados pelos recursos do programa, isso por que, até o momento, apenas uma empresa formalizou o termo de adesão ao Piseg.

O Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro), de Montenegro, formou um grupo de trabalho focado em divulgar o Piseg. O colegiado é composto pelo presidente do Consepro, o coronel da reserva da Brigada Militar, Leodimar Aldo Mantovani, pelo comandante do CRPO/Vale do Caí, tenente-coronel Rogério Pereira Martins, pelo empresário e presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI Montenegro/Pareci Novo) Karl Kinde, e pelo delegado regional Marcelo Farias Pereira. “Se a nossa sociedade não se articular no Piseg, seremos sempre deixados de lado”, argumenta o delegado regional.

Informações sobre o Programa podem ser buscadas no site da SSP/RS ou na ACI, com Karl Kindel (51 3057 4344). O processo de adesão é simples. “Uma vez aceito o Programa, nós já indicamos um servidor da Secretaria de Segurança, responsável pela área, que faz o contato com o contador da empresa”, conclui o presidente do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública, Aldo Mantovani.

Deixe seu comentário