Penitenciária Estadual de Montenegro possui capacidade para 988 apenados . Foto: arquivo Jornal Ibiá

MEDIDA atende ação que obriga Estado a realocar aqueles que estão em viaturas e em delegacias de Porto Alegre

Nesta semana serão liberadas 100 vagas na Penitenciária Modulada Estadual Agente Jair Fiorin, em Montenegro, como forma de atender ação judicial que obrigao Estado a transferir 71 presos que estão em delegacias ou viaturas. Para tanto, o governador Eduardo Leite autorizou horas extras na Brigada Militar, o que permite realizar operação de realocamento de detentos no sistema prisional gaúcho.

Deste total, 62 detidos começaram a ser transferidos para presídios ainda na segunda-feira, 13. Contudo, ainda não há informações dos reflexos que a medida trará para as delegacias do Vale do Caí.

O secretário da Administração Penitenciária, Cesar Faccioli, destaca que estão sendo realizadas ações para desafogar o sistema carcerário sem que os presos sejam liberados. “É importante dizer que é uma decisão de segurança pública não soltar os presos. O Estado vai apresentar um plano de reformas e construção de presídios”. Ainda neste ano estão previstas as inaugurações de três presídios em Bento Gonçalves, Sapucaia do Sul e Alegrete, o que deve gerar 1.500 vagas.

A Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Montenegro, que recebe presos de toda a região, também enfrenta o problema da superlotação nos presídios. No local tem sido comum casos de presos que ficaram mais de uma semana à espera de vagas. A delegada Cleusa Tânia de Oliveira Spinato, que responde pela Delegacia Regional durante as férias do delegado titular Marcelo Pereira Farias, diz que ainda é cedo para saber os impactos que a liberação de vagas na Modulada terá para os atendimentos da DP regional. Atualmente a Penitenciária Modulada não recebe detentos membros de facções como “os bala na cara”, tampouco acusados por crimes de Violência Doméstica ou detentos oriundos de outras varas criminais. “Nesse momento ainda não houve nenhum reflexo para nós”, relata.

Conforme a delegada, as celas da DPPA possuem estrutura para que os presos passem até 24h, com sanitário, mas sem chuveiro. Além disso, o ambiente foi planejado para receber um detento por vez. Mas há vezes em que abriga até seis pessoas e por períodos que de longe ultrapassam o tempo ideal.
Quando situações como essa acontecem, o jeito é improvisar. A comida para os presos vem da Susepe, o banho carece ser organizado pelos servidores da DP. Já o banho de sol, ao qual os presos têm direito quando estão detidos, se torna inviável.

A reportagem do Ibiá entrou em contato com a assessoria de comunicação da Susepe para saber mais detalhes sobre as vagas na Penitenciária Estadual de Montenegro. Porém, até o fechamento desta edição, não recebeu retorno.

Deixe seu comentário