A 1ªDPRI conta com quatro novos multiplicadores, recém capacitados. Foto: Divulgação Polícia Civil

PROGRAMA aborda importantes temas voltados aos adolescentes

O programa Papo de Responsa (PR) desenvolvido pela Polícia Civil está de volta às escolas. Depois de um ano de ações interrompidas, devido à pandemia da Covid-19, os encontros com os multiplicadores já podem ser solicitados pelas escolas da região de abrangência da 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil do Interior (DPRI). A capacitação de mais quatro agentes da PC reforça o quadro de policiais, da regional, aptos a abordar assuntos de interesse social junto aos jovens estudantes.

O Papo de Responsa é um bate papo entre policiais e jovens estudantes, semelhante ao que é realizado pelo Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), da Brigada Militar. O programa tem entre seus objetivos trabalhar temas como bullying, sexo, consumo de álcool e drogas. A iniciativa também visa aproximar jovens e policiais, mostrando que o servidor da Segurança pode ser um amigo, com quem é possível desabafar e tirar dúvidas sobre vários assuntos.

O comissário Leonardo Cambrai Melgarejo, de Barão, é um dos multiplicadores mais experientes da região. Ele explica que, no auge da pandemia, a PC optou em não realizar encontros virtuais para evitar sobrecarga de conteúdos aos estudantes. Além disso, havia necessidade de qualificar novos multiplicadores para o programa.

Na semana passada, quatro policiais participaram do processo de formação, realizado pela Polícia Civil em Gramado, são eles os comissários Antônio Luis dos Santos Castro e Alisson Castilhos, a inspetora Márcia Maria Guterres de Souza e a escrivã Aline Jung.

Agora, com a capacitação desses policiais, o Papo de Responsa está pronto para “ir” onde for solicitado. “Com a qualificação desses servidores, todos com muita experiência funcional e inclusive da área pedagógica, o programa ganha reforço e gás para a retomada em acompanhamento ao retorno das aulas presenciais nas redes estaduais e municipais de ensino”, complementa Leonardo. “A formação desses multiplicadores, viabiliza otimizar os recursos, tanto dos próprios policiais dividirem a tarefa, como questões de deslocamentos e até agendamentos simultâneos, o que até então não era possível pela quantidade de pessoal disponível”, acrescenta o comissário.

Novos multiplicadores
O contato com jovens e crianças sempre foi algo agradável para o comissário Alisson Castilhos. Antes mesmo de se tornar multiplicador do PR, ele já participava de rodas de conversas em escolas da região. “Acho importante a realização dessa troca informações, principalmente, para esclarecer muitas dúvidas que eles têm”, comenta o comissário.“Queremos demonstrar nosso lado educacional, desmistificar alguns pontos sobre a Polícia Civil e principalmente darmos algumas orientações quanto a assuntos ligados a drogas, bullying, violência, entre outros”, acrescenta Alisson.

Para a escrivã Aline Jung, a aproximação com o público-alvo do programa deve agregar valores na vida dessas crianças e jovens. “Na era da ansiedade, raramente eles são ouvidos e quando não o são, em alguns casos, tentam chamar a atenção partindo para a criminalidade. O Papo vem para nos aproximar das escolas e acima de tudo, para esses jovens abrirem suas mentes para os desafios da vida”, completa Aline.

Como agendar os encontros
As escolas interessadas em receber o Papo de Responsa devem encaminhar e-mail para: [email protected], solicitando agendamento.
Após, é necessário aguardar o retorno da mensagem que irá conter o chek list de dados importantes para compreensão da demanda.
Por fim, em um terceiro contato, será informado o agendamento.

Deixe seu comentário