A transexual Paula Kerber registrou BO na DPPA Vale do Caí denunciando homofobia e calúnia via Facebook. O acusado é um homem, morador da cidade, que fez cerca de 30 comentários em uma postagem da ativista que organiza a primeira parada gay de Montenegro. “Induzindo as pessoas a nos ver como bichos. Semeando discórdia! Eu denunciei e levarei ao Ministério Público”, declarou Paula. Ela aponta que o sujeitou usou e denegriu sua imagem, então acredita que configura crime de Internet.

Afirma que foi esse tipo de agressão que lhe motivou a ingressar na luta pelos direitos dos homossexuais no município. Uma das ações foi trazer uma ONG que dará apoio psicológico e jurídico. Ela voltou a defender a parada gay na cidade, assinalando que não haverá verba do município, e sim patrocínio externo e com tema educativo.

“Para se tornar uma parada de respeito, diferentes de muitas”, declarou. Paula reafirma que tudo que discrimina é crime e as leis devem ser cumpridas. Ela relatou ainda que recebeu uma ligação anônima na qual um homem lhe ameaçou por estar buscando direitos aos GLBT. “Já estou com medo, pois nunca se sabe o que um homofóbico transtornado é capaz de fazer”.

Ela recordou então que já perdeu amigas que lutavam pela causa, sendo que nas investigações é apenas mais um caso esquecido. “Não quero ser a próxima vítima. Pois o Brasil é o país que tem mais mortandade no meio LGBTT no mundo. E as vezes tudo começa em redes sociais”, finalizou.

Deixe seu comentário