38 ordens judiciais foram cumpridas entre mandados de prisão e de busca e apreensão em Porto Alegre, região Metropolitana e litoral

Nesta terça-feira, a Polícia Civil e o Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) cumpriu 38 ordens judiciais, entre mandados de prisão e de busca e apreensão em Porto Alegre, Viamão, Canoas, Imbé e Bom Princípio. As ações foram desencadeadas pela operação Mãos à Obra, que teve como finalidade desarticular organização criminosa voltada à prática de reiterados roubos em obras da construção civil e empresas fornecedoras de materiais elétricos.

A investigação iniciou em maio, quando foram registradas várias ocorrências e inquéritos policiais desta natureza, ocorridos em 2016 e 2017, o que, segundo o delegado Alexandre Luiz Fleck aponta para uma atividade criminosa que perdura há quase dois anos. “A partir daí, identificou-se que se tratava de um mesmo núcleo criminoso, com modus operandi específico, composto por duas células bem identificadas que trabalhavam de forma unitária”, detalha.

Uma delas, segundo o delegado, ficava na avenida Voluntários da Pátria, em Porto Alegre, envolvendo proprietários de reciclagem de metais, que seriam responsáveis pela destinação do material subtraído. E outra composta por indivíduos da Vila Augusta, na cidade de Viamão, ligados a uma facção criminosa do Estado, responsáveis pela execução dos delitos. Conforme o Fleck, os indivíduos adentravam os canteiros das obras e, armados, rendiam os funcionários e cerceavam sua liberdade.

Na ação de ontem, nove pessoas foram presas, sendo que três delas em flagrante por posse ilegal de arma de fogo e um deles por tentativa de homicídio.

Deixe seu comentário