Para não cair no golpe, antes de fazer qualquer tipo de depósito, quando solicitado por um parente ou amigo via mensagem do WhatsApp, é preciso entrar em contato através de ligação ou pessoalmente. Foto: reprodução internet

Uma nova modalidade de golpe coloca a população em atenção. Criminosos clonam contatos de WhatsApp e se passam pelos legítimos donos para pedir dinheiro emprestado ou repassar algum tipo de arquivo que funciona como um vírus. Ele infecta o celular e envia seus dados pessoais para outro dispositivo. A prática desse tipo de crime vem crescendo e desde o ano passado faz vítimas em todo o Brasil, inclusive em Montenegro.
Como os estelionatários fazem toda a transação através de mensagens, a vítima realmente acredita que está falando com o dono do contato. O correto é que as pessoas se certifiquem antes de fazer qualquer depósito, ligando e conversando com a pessoa dona do contato e que supostamente está lhe solicitando o empréstimo.

De acordo com os órgãos de segurança, os golpistas só conseguem ‘clonar’ o WhatsApp de uma pessoa, após terem acesso aos seus dados pessoais. Depois, ligam para a companhia telefônica se passando pelo cliente e habilitam um novo chip de celular com o mesmo número. Desta forma, têm acesso a todos os contatos e escolhem os que acharem mais lucrativos.

No pouco tempo em que ficam no controle do aplicativo, os golpistas solicitam empréstimos a diversos contatos, nunca falando em grupos, sempre no particular. O golpe é interrompido quando o dono da conta consegue bloquear o seu número do celular.

Deixe seu comentário