Motorista do Uber, Marcelo Roxo foi morto na estrada do vapor Velho

Nesta sexta-feira (21) o delegado da primeira delegacia de polícia de Montenegro, Eduardo Coutinho recebeu a confirmação do aplicativo Uber de que houve o chamado no caso do motorista morto pelo passageiro em Montenegro, Marcelo Roxo de 23 anos. “Eu não tinha essa certeza, mas agora com a confirmação do Uber em mãos, não restam dúvidas”, afirma o delegado.

Na última quinta-feira (20) a polícia Civil ouviu duas pessoas no caso do latrocínio com motorista do Uber. São amigos do autor do crime, que vitimou o motorista Marcelo Roxo. Eles tiveram contato, no dia do crime, com o adolescente de 17 anos apreendido como suspeito pela morte motorista que também era soldado do Exército. O objetivo é saber mais detalhes sobre a motivação do assassinato.

A primeira versão é de que a vítima desconfiou do fato do jovem estar com uma arma e teria avisado a polícia quando ainda estava transportando o passageiro. O adolescente percebeu e acabou rendendo o motorista, que foi colocado no porta-malas e executado. O investigado, que é natural de Portão, foi apreendido um dia depois do crime na localidade de Costa da Serra, onde tem familiares. Em depoimento à polícia, ele confessou a infração. O carro do soldado foi encontrado em Portão, mas a arma utilizada por ele ainda  não foi localizada. O menor foi encaminhado para apreensão. “Entregamos ele para a justiça, mas se ainda está apreendido é com o Ministério Público”, afirma Coutinho.

Por meio de nota, divulgada na segunda-feira (17), a Uber informou que a direção da empresa estava profundamente entristecida por saber desse pelo crime terrível e que os corações deles estavam com a família de Marcelo.

Deixe seu comentário