No primeiro dia, 120 detentos dos mais de 200 de um pavilhão receberam atendimento. Foto: Nicole Carvalho / Defensoria Pública

Um total de 1.574 presos da Penitenciária Modulada Estadual Agente Jair Fiorin (Pesqueiro) devem receber atendimento do projeto Defensoria Itinerante no Sistema Prisional (Disp). O mutirão realizado em Montenegro iniciou ontem e segue até 11 de agosto.

A intenção da força-tarefa da Defensoria Pública Estadual e buscar soluções para aliviar a crise carcerária e da segurança no Estado. Para isso, o Disp quer regularizar a situação de apenados que há muito estão detidos. “Essa é uma missão de justiça para os presídios. Defensores imersos na busca pela justiça, pela execução correta da pena”, explica a coordenadora do Disp e dirigente dos Núcleos de Defesa em Execução Penal e Criminal, Barbara Lenzi.

Ela afirma que quando a Justiça está nos presídios, é possível perceber uma melhora na segurança fora deles. O primeiro mutirão foi realizado em maio, no Presídio Estadual de Erechim. Lá foram revisados 400 processos, atendidos os 500 apenados e realizada inspeção no estabelecimento penal. O cumprimento da Lei de Execuções Penais reduzirá o desnecessário acúmulo de presos provisórios. “35% dos 35.000 presos do RS são provisórios, sem julgamento, aguardando um contato com o juiz”, disse Barbara.

Compartilhar

Deixe seu comentário