O site oficial do Banco do Brasil é o WWW.bb.com.br

EVITE FRAUDES. Não forneça dados por telefone, email ou outro canal de comunicação que não seja a agência

Uma mensagem de texto enviada de um número de celular para um cidadão pode ser a porta de entrada para futuros golpes. Neste caso, especificamente, trata-se de um SMS encaminhado em nome do Banco do Brasil, no qual é solicitado ao receptor da mensagem que entre em contato, via endereço eletrônico disponibilizado no próprio texto, para atualizar dados. A entidade financeira alerta que não entra em contato com seus clientes através de números de celulares. Em caso de dúvidas sobre a conta, o usuário deve procurar a agência bancária.

Não é de hoje que golpistas se valem do nome de empresas ou instituições para ter acesso aos dados pessoais dos cidadãos. O envio de mensagem de texto ocorre de forma aleatória, muitas vezes a pessoa que recebe nem mesmo tem conta no local citado. Esse foi o caso de um leitor do Jornal Ibiá que recebeu o pedido de atualização de dados para evitar o bloqueio de sua conta no Banco do Brasil.

Ao clicar no link sugerido na mensagem o cidadão é conduzido para uma página inexistente

A gerente geral da unidade bancária de Montenegro, Caroline de Sousa Rodrigues, salienta que o banco não entra em contato com seus clientes via telefone ou email para solicitar nenhum tipo de dado. “O Banco do Brasil jamais se comunica por celular, é sempre pelo 4004. Na dúvida, não clica em nenhum link, vai no site oficial do banco, liga para o gerente de relacionamento, vem até a agência”, diz.

Caroline destaca que os clientes não devem se apavorar perante mensagens de ameaça de bloqueio de senha. A única situação que leva a isto é digitar os números três vezes de forma incorreta. “O Banco do Brasil não faz ameaça, nunca vai mandar mensagem dizendo ‘vou bloquear sua conta’, ‘sua senha será bloqueada’, isso não ocorre”, assegura. “Muita calma e tranquilidade nessa hora. O cliente tem que identificar a origem do contato e jamais clicar em lik sugerido”, acrescenta. “É uma máfia, eles trabalham só pra pensar em golpes. As mensagens tem erros de português. As pessoas acabam entrando mais por uma questão de pânico” sublinha Caroline.

A dica da gerente, para que não haja fornecimento de informações, é reforçada pelo titular da 1ª Delegacia de Polícia de Montenegro, André Roese. O delegado destaca que através desse tipo de ação, criminosos conseguem subsídios para mais tarde usar em variados tipos de golpes. “Eles conseguem obter as informações, como senha, número de conta, CPF, endereço, nome da mãe. Quando a pessoa se dá conta, percebe que usaram nome pra tal coisa”, conclui.

Deixe seu comentário